sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Rapariga da Quinta 2012 e Bacalhau: que combinação deliciosa!

Eu sou suspeito quando falo de vinhos portugueses e mesmo da culinária de lá, por que eu sou um grande fã. E tem aquele restaurante português pertinho de casa que sempre parece me chamar, mesmo que inconscientemente, para mais uma boa refeição por lá. Esse restaurante é o Ora Pois, que eu já comentei algumas vezes por aqui (relembrem aqui principalmente) e foi onde eu provei o vinho do post de hoje. Vamos a ele?


Luís Duarte, produtor do Rapariga da Quinta, é um dos enólogos mais renomado de Portugal. Em 1997 foi destacado com o título de Enólogo do Ano pela Revista de Vinhos, uma das publicações especializadas mais prestigiadas de Portugal. Em 2007 repetiu a façanha, conquistando novamente este título. Em 2010, foi nomeado para a categoria “Best Winemaker in the World” do Wine Awards 2010, um concurso realizado pela revista alemã Der Feinschmecker e ficou entre os seis finalistas. Em seus quase 25 anos de carreira, sempre no Alentejo, Luis Duarte vem assinando muitos dos vinhos alentejanos que mais prazer proporcionam e maior sucesso tem alcançado. E recentemente tem nos presenteado com vinhos de seu projeto pessoal, elaborados com suas vinhas, daquelas que circundam a sua casa. (retirado do site do importador, Épice)

Sobre o Rapariga da Quinta 2012, podemos complementar que é um corte das uvas Trincadeira, Alicante Bouschet e Aragonêz sendo que passa por 6 meses de estágio em barrica de carvalho americano. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita coloração violácea de média intensidade, bom brilho e limpidez. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas também tingem as paredes da taça. 

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos, toques de especiarias e de baunilha. Ao fundo de taça também se notava notas tostadas.

Na boca o vinho apresentou corpo médio, boa acidez e taninos macios e fininhos. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média para longa duração.


E claro que para acompanhar, nada melhor do que um bom e velho Bacalhau Assado na Brasa com Batatas ao Murro, um show. Eu recomendo a prova, do vinho, do restaurante, enfim, da culinária e dos vinhos portugueses que em geral, tem trazido satisfação e preços mais acessíveis.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário