sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Quinta do Ameal Clássico Loureiro: Portugal invadiu o Winebar!!

Em mais uma oportunidade de participarmos do Winebar, desta vez viajamos virtualmente até Portugal e uma de suas regiões que são mal exploradas em nosso mercado, a região dos Vinhos Verdes. E eu falo isso por que seus vinhos crocantes e frescos combinam muito com o clima mais quente que enfrentamos por aqui invariavelmente nos últimos tempos, seja no verão ou mesmo neste inverno de mentirinha. E desta vez, com o apoio da Qualimpor, que irá trazer os vinhos da Quinta do Ameal para o Brasil a partir de então, pudemos degustar o vinho Quinta do Ameal Clássico Loureiro 2014. O responsável por nos apresentar o vinho foi ninguém menos que o o enólogo Pedro Araújo.


A Quinta do Ameal é uma pequena propriedade muito antiga (1710) de rara beleza natural. Lá são criados e produzidos vinhos brancos de excelência feitos a partir de uma casta de uvas portuguesa chamada Loureiro. Esta atinge a sua maior expressão aromática e gustativa neste fantástico Vale do Lima onde a vinícola está situada. Exportado para mais de 15 Países, o Ameal encontra-se nas cartas de muitos dos melhores e mais exigentes restaurantes do Mundo assim como das mais prestigiadas lojas. E chega ao Brasil pelas mãos da Qualimpor, a importadora que entende de vinhos portugueses.

Já sobre o Quinta do Ameal Clássico Loureiro 2014, podemos acrescentar que o vinho é feito com uvas 90% Loureiro e 10% Arinto colhidas no Vale do Lima, onde a casta Loureiro atinge a maior expressão aromática e gustativa. Passa por maturação de 3 a 6 meses em cuba de inox a temperatura controlada. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresenta uma cor amarelo palha bem clarinha, com reflexos quase prateados. Lágrimas finas, rápidas e incolores também se fazem presentes.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos cítricos e tropicais, flores e leve picância.

Na boca o vinho se mostrou de corpo leve para médio e uma acidez elétrica gerando muito frescor. Retrogosto confirma o olfato e adiciona um carácter mineral muito intenso, lembrando salinidade marinha. Final de longa duração.


E assim se foi mais um delicioso Winebar com mais um belo e interessante vinho, desta vez da terrinha lusitana. E para acompanhar este vinho, afinal toda essa acidez e frescor pedia uma comidinha, fomos de pescada branca com tempero de pimenta, sal e limão coberto com alcaparras e alho poró. E olha que o casamento foi muito bom.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário