sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Tierra Imperial Crianza 2012: As voltas com a Espanha

Confesso que tenho provado mais vinhos espanhóis nos últimos tempos e que estes tem me surpreendido de maneira positivamente cada vez mais, e não só os tintos, mas os brancos frescos e deliciosos que combinam com o verão aqui do Brasil. Mas como o tempo deu uma esfriada, desta vez resolvi ir de tinto. E o vinho que vamos conversar hoje sobre é o Tierra Imperial Crianza 2012.


A Bodegas Verduguez, produtora do vinho, é uma empresa familiar (atualmente na quarta geração), na cidade de Villanueva de Alcardete, na parte oriental da província de Toledo, na fronteira com a província de Cuenca. A Bodega está registrada no Conselho Regulador da DO La Mancha que apoia e destaca a alta qualidade de seus vinhos. A adega atual foi fundada no mesmo ano em que foi construída, 1950, só que com outro nome. A partir de 1994 o atual presidente, Miguel Angel Verduguez Morata, num claro compromisso com a qualidade, começou a mudar a produção de vinhos tintos e brancos, e ao invés de vendê-los a granel, passou para o desenvolvimento de vinhos varietais puros com a preparação e caracterização necessária para atender às necessidades do mercado.

Quando pensamos em Espanha e em um Tempranillo Crianza, logo nos vem a cabeça as regiões de Ribeira del Duero ou mesmo Rioja, entretanto o Tierra Imperial Crianza 2012 vem da região de La Mancha e Castilla. Feito 100% com uvas Tempranillo, este vinho passa por no mínimo 6 meses em barricas de carvalho e mais algum tempo em garrafa antes de ser liberado ao mercado, conforme solicita a legislação da DO La Mancha. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita coloração rubi violácea de média intensidade com ligeiro halo granada nas bordas. Lágrimas finas, rápidas e incolores também se faziam presentes.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos e negros, especiarias, notas animais e algo de baunilha.

Na boca o vinho tinha corpo médio para encorpado, boa acidez e taninos marcados e firmes, mas de boa qualidade. O retrogosto confirma o olfato e o final era de longa duração.

Mais um bom vinho tinto espanhol que provamos por aqui, que me faz cada vez mais tentar conhecer e descobrir novos vinhos vindos de lá. Eu recomendo e muito a prova. Este é mais um vinho do clube de vinhos da Winelands, o clube que eu assino e recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário