quinta-feira, 14 de abril de 2016

Le Casine Sangiovese 2014: Vinho bom e barato, italiano!

O negócio da família Castellani, produtora do vinho de hoje, foi criado em Montecalvoli no final do século 19 quando Alfred, viticultor de longa data , decide começar a engarrafar e vender seu vinho. Em 1903, a empresa é oficialmente registrada na Câmara de Comércio de Pisa. O filho de Alfredo, Duilio, junto com seu irmão Mario, começam um belo período de expansão da empresa. A vinha mais importante é a de Santa Lucia, no fértil Vale do Arno, onde um vinho tinto enérgico e "apto para o envelhecimento" é produzido e engarrafado em garrafas típicas cobertas de palha, ganhando o interesse dos mercados transalpinos. Em 1966, uma grande inundação provoca grandes danos para a adega em Montecalvoli. É então que temporariamente o negócio é transferido para a propriedade Burchino Estate, nas colinas de Terricciola. A compra da vinha Poggio al Casone coincide com a extensão da vinícola para a propriedade Travalda Estate, em Santa Lucia. Durante a noite do Dia de Ano Novo de 1982, um incêndio queima quase completamente as instalações da empresa. Parecia ser o final de tudo. Mas dentro de alguns meses, os irmãos Castellani compraram a propriedade Campomaggio Estate e, graças à contribuição de Piergiorgio, filho de Roberto, o negócio ganha força. Hoje esta empresa centenária prossegue com muito entusiasmo o objetivo de produzirem vinhos que são a expressão de uma das maiores regiões enológicas do mundo: a Toscana.


Sobre o Le Casine Sangiovese 2014, podemos ainda acrescentar que é um vinho feito a partir de 100% de uvas Sangiovese com passagem de 6 meses por madeira. Sem maiores delongas, vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração rubi violácea de média para grande intensidade, bom brilho e limpidez. Lágrimas finas, rápidas e quase incolores também faziam parte do aspecto visual.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos frescos, flores, especiarias, balsâmico e algo de baunilha.

Na boca o vinho tinha corpo médio, ótima acidez e taninos fininhos. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média duração.

Um típico vinho bom, bonito e barato, que pode fazer parte de uma refeição do dia a dia ou mesmo pra acalentar o coração em um dia qualquer. Eu recomendo a prova.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário