quarta-feira, 5 de junho de 2013

Quem chegou primeiro no mundo dos vinhos: os franceses ou outros povos?

Recente pesquisa arqueológica identificou uma prensa de pedra em uma cidade mediterrânea, com cerca de 2400 anos, que pode fazer parte da primeira incursão francesa no mundo vitivinícola. A princípio se confundiu tal artefato com uma prensa de azeite, mas ao final de algumas rodadas de análises químicas provou se tratar de um instrumento utilizado na produção de vinhos. Em decorrência de tais descobertas, começou-se a questionar não só a exatidão anteriormente relatada sobre quando os franceses começaram a produzir vinho mas também quem realmente os ensinou a fazer tal.

Foto originalmente do site da revista WineSpectator
A evolução da produção de vinho francesa aconteceu em fases. Primeiro, antigas civilizações do Mediterrâneo, como os fenícios e os gregos começaram a vender taças e vinho para os gauleses nativos. No que se diz respeito ao sul da França, foram os etruscos que trouxeram os celtas e/ou os gauleses para o mercado de vinhos. A partir dai, tais técnicas se se espalham até o Rhône e, eventualmente, se estabelece o que é a cultura do vinho de hoje. Então, como indicado pela prensa de pedra encontrada, os gauleses iniciaram a produção de vinho em torno de 425 AC.

O sítio arqueológico em torno da prensa apoia a teoria de que o comércio e a produção de vinhos passaram de mão em mão. Os primeiros artefatos relacionados com o vinho no local consistem em recipientes de barro trazidos por comerciantes gregos e etruscos para venda aos gauleses nativos. Um século ou ainda mais tarde, a produção de vinho local, conforme indicado pela prensa, surgiu lado a lado com o comércio de vinhos. Os celtas e os gauleses importaram alguns conjuntos de vinhos muito elegantes, feitos de ouro ou bronze, que mostravam o quão rico eles eram na época. E a partir do momento que eles foram na direção da importação do vinho, se deu também o interesse pela produção própria de vinho. Os pesquisadores também encontraram sementes de uva enterradas ao lado da prensa e identificaram prensas estruturalmente semelhantes em antigas pinturas etruscas relacionadas a produção de vinho.

Apesar de 425 AC soar antigo, é mais ou menos o mesmo tempo em que Sócrates viveu. As novas descobertas implicam que a França chegou no jogo da vitivinicultura um pouco tarde. Comerciantes da Israel moderna e Líbano trouxeram conhecimentos do vinho do Oriente Médio ao norte da África, Grécia, Espanha e Itália, centenas de anos antes de os franceses estabelecerem sua primeira produção de vinhos. No entanto, com base nos vinhos que de lá vem, estes gauleses conseguiram compensar o "tempo perdido".

Nenhum comentário:

Postar um comentário