terça-feira, 11 de junho de 2013

Rosso di Montalcino Castello Banfi 2010

Como uma noite ordinária de sábado pode se tornar especial? Simplesmente com boa companhia, uma boa refeição e um bom vinho. E foi assim que eu transformei a noite do último sábado em mais um daqueles momentos em que celebramos a vida, a família e as coisas boas que nos acontecem. Minha esposa preparou um belo pernil de porco com tempero a base de alho, pimenta, sal e folhas de louro lentamente assado em forno mínimo por aproximadamente duas a três horas. E como teríamos a visita de minha sogra, resolvi tirar um vinho mais bacana da adega. Foi ai que o Rosso di Montalcino Castello Banfi 2010 chegou a nossa mesa.


O Castello Banfi é uma das vinícolas mais famosas da região da Toscana, na Itália, mais precisamente na região de Montalcino. Esta vinícola é conhecida mundialmente pela busca incessante pela qualidade de seus vinhos, pelos grandes Brunellos e atualmente pela busca em diminuir a influência extra-natureza em seus vinhos e a utilização de técnicas de cultivo e produção orgânicas. Reconhecida também pelas pesquisas clonais da uva Sangiovese, a vinícola busca os melhores clones para manter a consistência de sua produção. Além da produção de vinhos, a vinícola também conta com serviços de visitação e hospedagem em suas dependências. O vinho em questão é feito exclusivamente com uvas Sangiovese colhidas nas encostas das montanhas de Montalcino passando por um período entre 10 a 12 meses em barricas e grandes tonéis de carvalho e depois por mais 6 meses em garrafa antes de ser liberado ao mercado. Vamos as impressões.

Na taça o vinho apresentou uma bonita cor rubi com toques violáceos de média intensidade, bom brilho e boa transparência. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas completam o conjunto visual.

No  nariz o vinho abriu com aromas de frutas vermelhas maduras, toques florais e leve lembrança de madeira ao fundo.

Na boca o vinho apresentou corpo médio, boa acidez e taninos suaves, macios e redondos. Retrogosto confirma o olfato com frutas em evidência. Final de longa e deliciosa duração.

Um baita vinho, fruto de minha recente viagem a Itália (a qual ainda devo algumas dicas a vocês, caríssimos leitores) e que agradou a todos além de acompanhar a refeição divinamente. Eu recomendo.

Até o próximo!

2 comentários:

  1. Victor,
    O que me dizes da guarda desse vinho?
    Tenho um 2009 e o receio é sempre no sentido de abri-lo antes da hora.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre,

      Eu arrisco dizer que dada a estrutura do vinho, ele pode ser guardado por um bom tempo sim. Entretanto, hoje em dia os vinhos já saem mais prontos da adega para o mercado, ainda mais no caso dos "irmãos" mais novos como os Rossos e eu arriscaria dizer que não haverá tanto ganho assim.

      Espero ter ajudado.

      Abraço!

      Excluir