sexta-feira, 25 de abril de 2014

Dargo Mencía 2009: Um espanhol de sobrenome!

Toda vez que tenho a oportunidade de participar de algum evento sobre vinhos, seja este uma degustação, feira, palestra e outros, procuro aproveitar a oportunidade e absorver a maior quantidade de conhecimento possível, seja das pessoas que estão participando do evento, seja do produtor, apresentador, importador e assim por diante. E é claro que são nestas oportunidades que eu acabo por conhecer vinhos que talvez eu não iria provar por conta própria, seja por falta de conhecimento mesmo ou quaisquer outros motivos. E foi enquanto esperávamos para inciar a degustação que mais tarde elegeria o Top 5 do Encontro de Vinhos (relembrem aqui) que provei este vinho espanhol, o Dargo Mencía 2009.


O Dargo Mencía 2009 é produzido por Raúl Pérez, famoso enólogo espanhol de Bierzo. Nascido em 1973 em Valtuille de Abajo, Raúl Pérez vem de uma família de produtores de vinho em Bierzo . Ele juntou-se a vinícola da família Castro Ventosa, com pouco mais de 19 anos, e pertence à geração de enólogos que revolucionaram o Bierzo e por consequência o vinho espanhol. Raúl Pérez tem uma maneira particular de entender o vinho. A prioridade não é a adega , mas a vinha. Portanto, trabalhando em vários projetos, próprios e em colaboração, tendo apenas como ponto de partida as vinhas onde encontra as uvas que mais gosta, como no caso da Mencía, expandiu seu nome para outros lugares na Espanha e no mundo, se tornando um dos enólogos com futuro mais promissor. Para finalizarmos, sobre o vinho em questão, é feito com uvas 100% Mencía e ao que tudo indica, não passa por barrica. Tem teor alcoólico de 13,5 %. Vamos as impressões.

Na taça o vinho apresentou uma coloração rubi violácea de média intensidade, bom brilho e alguma transparência. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas complementavam o aspecto visual.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos vermelhos bem maduros (cerejas em evidência), florais e ligeiro toque mineral.

Em boca o vinho apresentou uma entrada levemente adocicada (sensação), corpo médio e acidez na medida. Retrogosto confirma o olfato. Final já mais seco de média para longa duração.

Um bom vinho, que me pareceu ser fácil de beber e que deve acompanhar bem uma boa conversa, amigos e umas boas tapas. Eu recomendo.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário