segunda-feira, 14 de abril de 2014

Bodas de Papel com Orus Pas Dosé Rosé de Adolfo Lona

Dizem que quando comemoramos o primeiro aniversário do nosso casamento, estamos comemorando as "Bodas de Papel". E isso se deve pois se atribui ao papel, características de fragilidade do material, assim como na relação, pois o primeiro ano seria o período mais conturbado, mais frágil do casamento, onde se cria a aceitação do outro numa convivência em comum. Existem ainda outras atribuições menos usadas, como o papel se relacionar com o "contrato" assinado no casamento, os planos do casal que saem do papel, enfim, muitas são as possibilidades. A verdade é que, independentemente do que o papel significa, é uma data muito especial quando se tem certeza de que está ao lado da pessoa certa, a pessoa que você escolheu para estar sempre ao seu lado. E para comemorar esta data especial eu escolhi o vinho espumante Orus Pas Dosé Rosé de Adolfo Lona, que eu trouxe de lá em recente visita à diversas vinícolas do Rio Grande do Sul (lembrem aqui).


Não sou profundo conhecedor de vinhos espumantes, eu reconheço, mas dos que eu tenho provado ultimamente e de tudo que já provei até hoje, posso afirmar com toda a certeza de que os vinhos espumantes produzidos por Adolfo Lona estão no top da categoria no Brasil. Este espumante é um Extra Brut Rosé que não recebe adição de açúcar no licor de expedição (por isso o Pas Dosé) e foi elaborado com uvas Chardonnay, Pinot Noir e Merlot. Passa 24 meses em contato com as leveduras. É feito em lotes de aproximadamente 628 garrafas anuais e o lote do qual este vinho espumante faz parte foi liberado em Setembro de 2013 ao mercado. A garrafa que abrimos era a de número 88. Vamos as impressões.

Na taça o vinho apresentou uma bonita cor rosa alaranjada, lembrando aquela pele de cebola roxa, sabe? Borbulhas minúsculas, persistentes e bastante barulhentas. Forma uma coroa elegante na taça.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas cítricas e vermelhas, toques de mel e panificação (fermento). Bastante complexidade e ao mesmo tempo todos aromas facilmente identificáveis.

Na boca o vinho tinha bom corpo, boa cremosidade e uma acidez extremamente refrescante. Retrogosto confirmando o que haviamos sentido no nariz. Final longa, refrescante e delicioso!

A comemoração não poderia ser melhor. Eu, minha esposa, muito amor e um belo vinho espumante para acompanhar. De qualquer forma, eu recomendo o vinho para qualquer ocasião, vale e muito. E que venham as próximas bodas.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário