quinta-feira, 17 de abril de 2014

#MalbecWorldDay com vinhos Nieto Senetiner

Hoje é dia de comemorar mais um #MalbecWorldDay e nada melhor do que comemorar em grande estilo, com uma das vinícolas que mais entende do riscado: a Nieto Senetiner. Esta vinícola argentina, uma das pioneiras no uso da Malbec em um vinho com denominação de origem na América Latina, organizou um jantar harmonizado somente com vinhos feitos a partir da uva Malbec, jantar este que foi oferecido no espaço que a Nieto Senetiner mantém em São Paulo, chamado de Casa Nieto. O espaço Casa Nieto torna a vinícola a primeira de nacionalidade argentina a ter um espaço seu em solo brasileiro. O lugar é muito aconchegante e elegante.O jantar contou ainda com a co-organização da Casa Flora, importadora de vinhos responsável por brindar o mercado brasileiro com os vinhos da vinícola Nieto Senetiner.


Para quem não se lembra muito bem, o #MalbecWorldDay foi criado pela Wines of Argentina para celebrar esta uva que se tornou a uva símbolo dos vinhos dos nossos hermanos e que é muito apreciada por aqui. Mas a história é um pouco mais complexa. Como sabemos a uva Malbec tem seu berço na França, mais precisamente na região de Cahors. No final do século XIX no entanto, com o advento da filoxera e a quase total destruição da vitivinicultura francesa, a cepa cai no que podemos chamar de um certo ostracismo, sendo então colocada de lado em contrapartida a outras mais famosas. Neste ínterim a cepa chega a Argentina e começa a se desenvolver de forma espantosa e se adaptando de maneira exemplar ao clima e solo da região de Mendoza principalmente. E na data de 17 de abril de 1853 um projeto para criação de uma escola de agronomia e de um órgão em Mendoza em prol da vitivinicultura do país com base na expansão desta atividade cria um marco com relação muito estreita da uva Malbec e da vitivinicultura da Argentina. E foi com toda esta história levada em conta que se criou o dia Mundial da Malbec em 17 de abril.


A intenção do jantar era mostrar algumas faces que a Malbec pode assumir em determinados vinhos, mostrando também a versatilidade que esta uva pode ter. De vinhos mais leves, menos potentes e com leve teor de açúcar residual até poderosos vinhos tintos que lembram até tinta preta. Cada prato foi pensado, portanto, com este intuito.



De entrada, uma saladinha verde com crispy de jamon serrano. Todos esperávamos um vinho branco (embora fosse o dia da Malbec) para acompanhar. Mas em uma excelente sacada do pessoal da Casa Flora, resolveram colocar o Emília Malbec 2012 para tentarmos harmonizar e checar o resultado. E não é que ficou bom? O amargor das folhas com a crocância e leve gordura do jamon harmonizaram de forma interessante com a leve sensação de doçura que o vinho tinha em boca, aliada a taninos macios e uma boa acidez (até certo ponto incomum em vinhos Malbec). O vinho apresentava ainda aromas de compota de frutas, toques florais e algo de especiarias. Começávamos com o pé direito.


Seguimos então ao primeiro prato, um Risoto de Funghi Porcini bem cheiroso e saboroso. A escolha para harmonização já ficaria mais séria a partir daqui. E o vinho apresentado então foi o Don Nicanor Malbec 2010, um vinho já mais elegante, que descansou em barricas de carvalho por 18 meses. Aromas de frutas escuras bem maduras, algo de frutos secos (ameixa preta, uva passa) e baunilha em segundo plano. Bom corpo, taninos finos e macios e acidez bem postada. Complexo e equilibrado ao mesmo tempo, este vinho caiu bem com o risoto.


Chegamos na hora do segundo prato, e aqui a coisa era pra profissa. Massa com ragú de Ossobuco e o vinho para acompanhar? Nada mesmo que o Cadus Malbec Blend of Vineyards 2010, ou Tri Malbec para os íntimos. Este vinho é denominado desta forma pois as uvas Malbec utilizadas para produzi-lo vem de 3 vinhedos diferentes, que contam com solos e climas diferenciados ajudando na criação de um vinho complexo e elegante. Passa ainda por 12 meses em barricas novas de carvalho francês. Tudo isso resulta num vinho incrível, frutos vermelhos e negros em sintonia juntamente com aromas de madeira, baunilha e toques de flores e especiarias. Em boca é encorpadão, taninos redondos e boa acidez. Confirma a complexidade olfativa também em boca. Fica por muito tempo no paladar. Um vinho especial, sem dúvidas. E claro, na minha opinião, o campeão da noite. Combinou divinamente com a massa e o ossobuco.


Fica o agradecimento especial a Nieto Senetiner, sua assessoria de imprensa, Casa Flora e demais organizadores pelo convite e pela chance de participar do jantar. Uma maneira estilosa de comemorarmos o #MalbecWorldDay.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário