segunda-feira, 28 de abril de 2014

Golán Tampesta 2009: Um vinho espanhol diferente!

O vinho espanhol alvo do post de hoje é também um vinho destes que provei no "pré-degustação" para eleição do Top 5 do Encontro de Vinhos, que aconteceu na Casa do Porto em São Paulo. Mais uma destas oportunidades que agradeço sempre por aparecer em minha vida e que tento tirar o maior proveito no tocante a novos conhecimentos.


Este vinho espanhol é muito interessante, primeiramente por ser feito com 100% de uma uva que eu nunca havia ouvido falar, a Prieto Picudo. Segundo uma breve pesquisa que fiz sobre esta variedade de uva, a mesma tem algumas semelhanças com a Tempranillo, também considerada autóctone da Espanha. A Prieto Picudo é originária da região de Valdevimbre, Los Oteros e das margens do rio Cea , em León e atualmente ocupa uma área de 3.000 hectares de vinhedos. Hoje a área é parte da Denominação de Origem Vino Tierra de León. Com esta variedade comumente se produzem vinhos frescos, frutados e leves, suaves e aromáticos (flores e frutos), com um teor médio de álcool. Na boca é frutado, seco e leve. É muito usado em cortes com a uva Mencía, uva utilizada na produção do vinho do post anterior (relembrem aqui).

Falando um pouco do produtor, a Tampesta Bodegas Y Viñedos, foi no ano de 2000, que os irmãos De Paz Tampesta decidiram concentrar-se na tradição vitícola da região de Valdevimbre, que está no sul da província de León. Esta região tem a maior quantidade de vinhedos com a uva Prieto Picudo nativa, que domina a imagem e caráter pessoal do DO Vinhos Tierra de León. Sobre o vinho em questão, como dito anteriormente, é feito 100% com uvas Prieto Picudo e passa por 12 meses em barricas de carvalho. Tem 13,5% de álcool. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma coloração rubi violácea de média intensidade, com ligeiro halo aquoso. Lágrimas finas, com velocidade moderada e ligeiramente coloridas complementavam o conjunto visual.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas em compota (vermelhas), toques que lembravam aceto balsâmico e baunilha. Bastante fragrante.

Na boca o vinho apresentou corpo médio, acidez na medida, taninos macios e suaves. Retrogosto confirma o olfato com muita fruta madura e lembrança mineral. Final de longa duração.

Outro grande vinho degustado, que oportunidade! Me pareceu outro vinho muito agradável para ser consumido por si, jogando conversa fora com amigos ou uma pessoa especial. Deve agradar paladares menos iniciados com o vinho também. Eu recomendo.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário