quinta-feira, 2 de julho de 2009

TRICAMPEÃO

Ainda com sono, de ressaca e rouco por causa do jogo de ontem estou aqui para prestar um singela homenagem ao time que, mesmo nas dificuldades, só me faz ser feliz: Corínthians. Sim, este será um post apaixonado, sem qualquer razão ou fatos, apenas de exaltação e felicidade. Ontem o Corínthians provou, mais uma vez, que futebol se vence dentro de campo.

Desde o primeiro jogo da final da Copa do Brasil, o pseudo-dirigente do timinho de meninas do sul fez questão de minimizar a vitória do Corínthians, de desprezar a CBF, a instituição Corínthians e os árbitros que trabalham para o nosso futebol. O ápice de toda soberba gaúcha foi aquele famigerado dvd, ou dossiê, com acusações de supostos erros de arbitragem pró-Corínthians durante a Copa do Brasil deste ano. Só colocou combustível em uma fornalha já incandescente.

O Corínthians, representado pela austeridade de seu treinador Mano Menezes, jogou como poucas vezes vi este time jogando dentre meus pouco mais de 20 anos acompanhando futebol, com atenção, vontade, gana de ser campeão, enfim, mostrou o por que era merecedor deste título. Não se deixou cair em provocações nem por um minuto, D’Alessandro inclusive foi exorcizado como antigo fantasma do Corínthians tendo sido expulso e protagonista de uma enorme confusão no gramado. A cena emblemática da partida foi o nosso capitão William, que muito inteligente, fugiu da confusão com o argentino e ainda riu da situação cara a cara com ele. Se mostrou um perfeito seguidor do incapaz dirigente gaúcho que gerou o clima bélico nas vésperas do jogo e deveria ser de alguma forma punido por isso.

Desde o fatídico rebaixamento em dezembro de 2007 até as recentes vitórias do time, vemos a evolução que a longevidade de um treinador a frente de uma equipe pode gerar. Mano Menezes desde então ganhou o Brasileirão da série B, Campeonato Paulista e a Copa do Brasil, se firmando mais do que nunca como um treinador de ponto no cenário brasileiro. Veja que mesmo não sendo fã incondicional deste treinador, me rendo ao trabalho feito por ele desde então e as constantes provas de que ele conseguiu aprender com seus próprios erros e que mudou diversas convicções suas em prol da montagem deste time vencedor.

Agora os desafios que vem pela frente são grandes: o Campeonato Brasileiro deste ano, o ano do centenário do clube em 2010 disputando a Taça Libertadores da América e a montagem e manutenção de um elenco vencedor. Tenho certeza que em se mantendo o Mano Menezes, um grande passo será dado. Quanto ao resto deposito muita confiança nesta diretoria pelo trabalho realizado desde que assumiu o clube.

Enfim, o momento é de comemoração, de exaltação, de felicidade e felicitações. Parabéns Corínthians, por mais esta conquista e muito obrigado por deixar que tamanha felicidade possa existir em minha vida. Obrigado Ronaldo por seus gols e passes decisivos; obrigado Alessandro por seu pulmão de aço que faz com que chegue sempre com perigo na frente e seja um leão na marcação; obrigado Chicão e William pela austeridade, seriedade com que encaram cada partida; obrigado André Santos por ter representado o Corínthians tão bem na seleção e ainda voltar e fazer o gol que praticamente selou nosso destino ontem; obrigado Elias e Cristian por correrem e marcarem divinamente e ainda deixarem os homens de frente e a defesa tranquilos para jogar o que sabem; obrigado Jorge Henrique por ser este incansável batalhador e também por seus gols decisivos nesta finalíssima; obrigado Mano Menezes por ter aprendido com seus erros e fazer este trabalho maravilhoso a frente do nosso Coringão; obrigado a todos os demais jogadores, reservas ou não, por ajudarem em todos os momentos difíceis ao longo da temporada! Não podemos baixar a guarda e deposito plena confiança em vocês.

PS.: No final, até eles já sabiam o que iria acontecer.




Idéia (muito boa por sinal) retirada do Blog do Juca Kfouri.

Nenhum comentário:

Postar um comentário