terça-feira, 24 de maio de 2011

Portugal na crista da onda?

Tenho lido muita coisa sobre vinhos na atualidade e me parece que Portugal anda meio na moda, ao menos por aqui em Terras Brasilis. E como eu já disse muitas vezes por aqui, sou um grande fã dos vinhos de lá por achar que eles em sua maioria apresentam uma grande consistência e, num mercado altamente inflacionado de vinhos do velho mundo como o nosso, apresentam um excelente custo-benefício. Resolvi então fazer um catadão de informações/fatos curiosos e/ou históricos e outros assuntos relacionados a Portugal em um (ou mais) post.

Segundo Alfredo Saramago, jornalista e autor de livros sobre gastronomia, o processo de produção de vinhos mesmo que rusticamente já existia em Portugal desde os povos primitivos que lá habitavam, esmagando uvas e tomando o suco fermentado proveniente deste processo. Depois foi a vez dos Fenícios ensinarem novas técnicas associadas a este processo e quando os romanos por lá chegaram, se adimiraram com estas técnicas e a difundiram por seus outros lados de seu império. Desde sempre a exportação de vinhos era importante para Portugal e com a época expansionista e dos descobrimentos, o vinho português chegou a todas as outras partes do mundo.

Vamos a alguns fatos também relevantes com relação a história vitivinícola de Portugal:

- Apesar de ter uma área territorial reduzida, Portugal ocupa o 6º lugar na escal mundial de produtores vinícolas;
- O Douro (região famosa pela produção do Vinho do Porto) foi a primeira região vitivinícola do mundo, tendo seus limites demarcados em 1756;
- É possível que Portugal disponha de um número de castas autóctones superior a qualquer outro país – muito acima de 200;
- O número de micro climas, de tipos de solo e a variedade de castas, confere aos vinhos portugueses uma vantagem extraordinária para os apreciadores da bebida;

Apesar da busca pela Touriga Nacional como casta símbolo de Portugal, os vinhos portugueses  tem uma identidade única, tradição, qualidade e há muitos, muitos séculos, são bebidos em todo o mundo possivelmente pelo estímulo que o grande número de castas autóctones dão a seus vinhos. É por isso que no próximo post irei discutir um pouco sobre algumas castas famosas de Portugal. Sigam esta série de posts sobre nossos colonizadores e descubram ou contribuam com novas informações sobre este país fascinante.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário