quinta-feira, 26 de maio de 2011

Regiões Vinícolas de Portugal – Parte Final

Voltando para o último e derradeiro capítulo de nossa saga portuguesa, hoje é o dia de falarmos das cinco últimas regiões vinícolas do país, suas DOCs e particularidades. Sem maiores delongas, vamos a elas:



6 – Alentejo – DOC Alentejo: Uma vasta zona rural de planícies extensas com muitos sobreiros (árvora da qual a rolha de cortiça é proveniente) e oliveiras. A região é quente – muito quente – no verão implicando na irrigação das muitas vinhas existentes por aqui. O Alentejo é a linha de frente da revolução do nivel dos vinhos em Portugal, adotando métodos modernos na produção de seus vinhos com excelentes resultados e conseguindo a consagração internacional por parte da crítica especializada. Uma região famosa por seus vinhos tintos, geralmente de médio corpo a encorpados, frutados e adequados para o envelhecimento. As suas subregiões DOC são Portalegre, Borba, Redondo, Vidigueira, Reguengos, Granja/Amareleja, Moura e Évora. Já os vinhos brancos não são uma tradição da região (exceto na Vidigueira) mas com a ajuda de tanques de fermentação com temperatura controlada, estão surgindo boas opções neste filão de mercado;

7 – Terras do Sado – DOC’s Palmela e Setúbal: O vinho regional Terras do Sado, a DOC Palmela e o vinho fortificado DOC Moscatel de Setúbal tem origem na Península de Setúbal, uma região delimitada pelo Estuário do Tejo, o Oceano Atlântico e o Rio Sado. A pesca era a principal fonte de renda na região mas agora o turismo e o vinho sobrepujaram esta atividade. Nos solos arenosos é plantada sobretudo a uva Castelão, produzindo vinhos tintos suaves, de maturação precoce com notas de framboesa e groselha, muitos dos quais podem ter um bom envelhecimento. O Moscatel de Setúbal é um vinho fortificado produzido com a casta de mesmo nome e que passa por um longo período de envelhecimento em tonéis. Geralmente com aromas que remetem a fruto secos e/ou passificados além de mel, suas cores vão do âmbar ao castano escuro, dependendo principalmente de seu potencial e idade de envelhecimento;

8 – Algarve: Enquanto suas praias atraem turistas aos montes, os produtores vinícolas estão começando a perceber os potenciais da região. Consequentemente vemos um movimento de renovção das vinhas aqui plantadas, caves modernizadas e os métodos mais modernos de produção sendo aplicados. Os vinhos tintos locais são frescos e frutados;

9 – Açores: Este arquipélago com 9 pequenas ilhas no meio do Atlântico apresenta uma beleza natural absolutamente preservada. O cultivo de vinhas tem um longo passado na região, tendo sido introduzido pelos primeiros colonos portugueses no ‘seculo XV. Na Ilha Terceira (Biscoitos) e no Pico produzem-se vinhos fortificados, enquanto na Graciosa produz-se um vinho branco leve e seco;

10 – Madeira: A belíssmia Ilha da Madeira, distante 1000 km do continente, é famosa por seu vinho fortificado clássico com o mesmo nome, cuja origem remonta a mais de 500 anos atrás e é ainda hoje tema de lendas e de obras literárias.Atualmente algumas adegas estão desenvolvendo um trabalho pioneiro na produção de vinho de mesa de qualidade como os VPQRD Madeirense e o Vinho Regional “Terras Madeirenses” – mais um ponto interessante para os visitantes da ilha.

E é assim que me despesso de você caro leitor que me acompanhou por esta viagem enofílica virtual pelas regiões vinícolas de Portugal. Espero que as informações aqui compartilhadas sejam úteis e que despertem a curiosidade de vocês sobre os vinhos portugueses pois estes não irão decepcionar-lhes.

Bons goles!

2 comentários:

  1. Olá, estou indo para Portugal, em outubro,gostaria de sugestão de uma Vinicola para visitar.
    Grata
    Fabiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabiana,

      Muito obrigado pela visita.

      Veja, como nunca estive em Portugal, vou me basear em alguns vinhos que gosto ok?

      A primeira dica é a Quinta da Maroteira, no Alentejo, produtora de um dos vinhos que já comentei por aqui, o Cem Reis. Outra que me foi recomendada por um amigo que conhece do assunto é a Monte do Pintor, também no Alentejo e que possui vinhos interessantes e disponíveis aqui no Brasil.

      Já na região do Douro, tente a Esporão, é uma gigante do mundo vinícola e que é famosa por aqui, e com vinhos consistentes e de qualidade.

      Finalizando, a Quinta da Bacalhoa tem vinhos interessantíssimos e uma linda sede no Azeitão.

      Espero ter ajudado.

      Sds.

      Excluir