quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Confraria do Meio: Segundo Ato!

Depois de uma fantástica reunião inaugural (relembre aqui) chegava a hora da Confraria do Meio se reunir pela segunda vez. Parentese. Desde o começo imaginamos a confraria com reuniões mensais e com temas pré definidos e passado um mês, cá estávamos outra vez. Fecha parentese.  Como havíamos definido, o tema desta reunião era Argentina, e portanto os confrades foram instruídos a levar vinhos do país para celebramos a noite. Evidentemente que tentamos também escolher um restaurante que pudesse casar com o tema, mas depois de muito pensarmos, discutirmos opções, chegamos a conclusão de que o local escolhido para o encontro da confraria (também conhecido como esbórnia enogastronômica) nesta reunião seria o Garcia e Rodrigues, localizado no Shopping Vila Olímpia, na Zona Sul de Sampa. A escolha do local também leva em conta os contatos que algum dos confrades tenha, a não cobrança de rolha e se possível, a temática do local.

O Garcia & Rodrigues é um misto de restaurante, delicatessen e confeitaria que, há 14 anos no Rio de Janeiro e um em São Paulo, oferece o melhor dos grandes clássicos tanto da gastronomia francesa quanto da cozinha brasileira, combinando ingredientes, aromas e temperos europeus e locais. Alguns de seus pratos já viraram referência, além da enorme variedade de tortas e cheesecakes, e de clássicos da pâtisserie francesa como tarteletes, éclairs, financiers e madeleines. Os pães são um destaque à parte. Com fabricação própria, são feitos na padaria e confeitaria do restaurante.

Vale ressaltar que toda a equipe da casa nos deixou muito a vontade desde a nossa chegada, mas em especial o sommellier Alex foi show de bola. Além de nos separar a melhor mesa da casa, fez questão de nos trazer uma taça para cada vinho degustado (e olha que foram 6 vinhos) e ainda fez questão de que recebêssemos o couvert por conta da casa. O destaque do couvert é uma espécie de fogaça de azeitonas num formato inusitado, mas que é uma delícia, além é claro do patê e dos pães, todos confeccionados na casa e na hora (chegavam ainda quentes na mesa). Enquato abríamos os trabalhos, tomamos um vinho branco para acompanhar o couvert e as entradinhas,que consistiam em um mix de antepastos com berinjela  cogumelos, batatinhas em conserva, fundo de alcachofra e outros. O vinho era o Mairena Sauvignon Blanc 2009, bem fresco e aromático com muita tipicidade: maracujá, algo vegetal, aspargos, muita mineralidade (lembrando areia de praia) e bom corpo. A mistura de cozinhas é o forte da casa e como o tema era Argentina, escolhemos pratos que tinham carne como atriz principal: uma canela de vitelo que era de se comer ajoelhado e um belo bife de chorizo. O vitelo desmanchava a cada garfada e o chorizo derretia na boca, e para acompanha-los, um risoto muito bem feito. Agora, passemos as impressões dos confrades sobre os vinhos e como é de praxe, na ordem em que foram eleitos na noite de ontem.


1o Lugar - Monteagrelo Bressia Malbec 2008 - Um vinho 100% malbec que conseguia aliar força e elegância, numa mistura de velho e novo mundo. Aromas de frutas vermelhas maduras, muito floral, carne de caça, chocolate amargo todos harmônicos e sem aquela porrada na cara. Taninos médios, corpo cheio, final muito longo e acidez bacana criavam um belo conjunto. Elogiadíssimo por todos, foi unanimidade;

2o Lugar - Fabre Montmayou Grand Vin 2003 - Um blend com 85% Malbec, 10% Cabernet Sauvignon e 5% Merlot de uma empreitada francesa em Mendoza com muito estilo velho mundo, o vinho apresentava aromas de fruta escura, baú velho, mentolado com um pouco de álcool sobrando no início, mas que arrefeceu durante a degustação. Boa acidez, taninos firmes e ainda presentes mesmo com a idade do vinho, uma bela surpresa da noite;

3o Lugar - Ben Marco Cabernet Sauvignon 2008 - Apesar de ser rotulado como varietal, apresenta 15% de malbec em sua composição. Este vinho faz parte das linhas premium da cultuada enóloga hermana, Susana Balbo. O vinho a princípio se mostrou fechado, necessitando de um tempo em decanter. Quando se abriu, aromas de frutas maduras, pimenta, cassis, alguma coisa de tostado e tabaco doce. Álcool sobrando durante toda a degustação. Boa acidez, taninos firmes e algo de rascantes e álcool sobrando um pouco também em boca num final de média duração. Os confrades, e eu me incluo, achamos que o vinho ainda era muito novo e que deve melhorar com mais um ou dois anos de garrafa;

4o Lugar - Colonia Las Liebres Bonarda 2009 - Apesar de ter recebido 89 pontos de Robert Parker e ser considerado um best buy, este vinho não agradou muito os confrades. Aromas de compota de furtas (framboesa), goiabada, mentol e especiarias o vinho tinha corpo de leve para médio, taninos finos e boa acidez com um final um pouco curto. Um vinho correto e mais para o dia a dia e só.

Por motivos profissionais e pessoais, a reunião da confraria foi um pouco esvaziada. Mesmo assim pudemos aproveitar, conversar muito, dar risadas além de comer e beber bem e em excelentes companhias. E é claro, decidimos os temas para as duas últimas reuniões do ano, anotem ai: em novembro o tema será vinhos portugueses e para dezembro, uma reunião especial com vinhos TOP, onde cada confrade levará o vinho que achar que tem um que a mais, aquele considerado vinhaço e aclamado pela crítica.

Que venham as próximas reuniões, até lá!

Um comentário:

  1. Mais um encontro delicioso, em todos os sentidos! Um viva pra Confraria do Meio!!!!
    :o)
    Roberta

    ResponderExcluir