terça-feira, 27 de março de 2012

Kunde Zinfandel 2007

E como de praxe, nos finais de semana acabo escolhendo um vinho especial para acompanhar os pratos feitos por meus pais aos domingos, sempre diferentes e feitos com amor e carinho. Desta vez o prato é a já famosa costelhinha de porco ao molho barbecue, mas com um detalhe, tudo é feito em casa (inclusive o molho), nada destes preparados industrializados. O prato tem uma forte tradição americana de consumo, e como combinar então um vinho com este prato? Procurando em minha adega resolvi arriscar na harmonização e escolhi um vinho também emblemático americano para esta tarefa, um Zinfandel. E acho que consegui um bom casamento.

A Kunde Family State é uma vinícola tradicional da região de Sonoma, na Califórnia e por mais de um século e cinco gerações da família tem cultivado vinhas e vem deixando um legado para a vitivinicultura da região. Diz a lenda que foi esta família a responsável por trazer as primeiras mudas de videiras dos grandes chateaux de Bordeaux no começo do século 19. Sobre o vinho, o mesmo é feito com uvas 100% Zinfandel num blend ente distintos vinhedos da propriedade. Depois da fermentação, passa por 16 meses em carvalho francês, americano e húngaro, sendo que destes, 26% são de primeiro uso. Vamos as impressões.


Na taça uma bonita cor rubi violácea de média intensidade, com certo brilho e pouca transparência. Ligeiro halo aquoso não denota muita evolução. Lágrimas finas, lentas e com alguma cor tingiam as paredes da taça.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas vermelhas, chocolate, algo de aniz, especiarias e leve tostado no fundo da taça. Bastante complexidade com algumas mudanças ao longo do tempo na taça. Depois de algum tempo também mostrava aroma animal, sem que eu distinguisse ao certo o que era. O álcool espetou um pouco no começo mas arrefeceu logo.

Na boca o vinho tinha corpo médio,boa acidez e taninos finos, macios e redondos. Traz no retrogosto lembrança de achocolatado (tipo toddy no leite) e muita fruta vermelha doce, madura. O álcool não se fazia notar, ao contrário do olfato inicial. Final de média duração.

Mais um grande vinho desta que vem se tornando uma de minhas uvas preferidas. Além disso, a doçura das frutas maduras mais o teor alcóolico casavam bem com o molho barbecue, além das especiarias se aliarem legal com a leve picância do molho. Além disso, taninos e álcool limpavam bem o palato depois do consumo da gordura da carne. Em suma, um casamente que eu achei muito bom e recomendo!

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário