terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Winebar Wines of Argentina: Harmonizando Vinho & Música!

Passados alguns dias das festividades de final de ano, agora é hora de me voltar para o concurso lançado ainda em meados de Dezembro de 2013 em um difícil exercício de harmonização entre vinho e música, desafio este proposto pela Wines of Argentina através do já conhecido por aqui, Wine bar. O concurso tem mais ou menos o formato a seguir: cada blogueiro recebeu dois vinhos com a missão de harmonizar cada uma deles com uma música, dentro de uma playlist montada pelos organizadores do concurso, e publicar o texto com as harmonizações e as justificativas em seu meio de comunicação. E é o que vou fazer a seguir.

O meu primeiro vinho foi na verdade um espumante, o Espumante Omnium Viniterra Brut, cujo produtor é a Viniterra. Não consegui informações muito apuradas sobre o mesmo mas ao que tudo indica é feito com um corte de Chardonnay (50%) e Semillon (50%) com segunda fermentação em tanques (método charmat). Com uma coloração amarelo palha clara com toques verdeais, perlage fina e persistente o vinho mostrou no nariz aromas de frutas como pêssegos e abacaxis maduros e bem doces com toques suavemente florais. Na boca o vinho apresentou corpo leve, boa acidez, boa formação de espuma e certa cremosidade além de um ataque inicial doce (mesmo sendo um espumante brut). Retrogosto confirma o olfato com muita fruta madura, quase em compota e o toque floral um pouco mais evidente. Final com um certo amargor que em determinado momento me incomodou um pouco, mas pode ser algo pessoal. Um espumante suave, doce e simples, direto.



Quando comecei a pensar em espumante, logo me veio a mente que eles naturalmente harmonizam com festas. E para tal, músicas mais animadas e dançantes, certo? Além disso, procurava por algo doce, suave e bem simples, direto, com uma letra que pode ser facilmente decorada e cantarolada. Dito isto tudo, minha escolha para a harmonização musical foi a música "I Feel Love" interpretada pelo Bronski Beat, que a meu entender tinha todas estas características, como a batida puxada para o eletrônico e dançante, a suavidade vocal da música e a doçura de falar do amor (afinal, quer sentimento mais doce que este). Além disso a letra é simples e não tem muitas estrofes, o único porém é a última frase que deixa no ar um "Por que você não volta?"; seria este também um sinal para o amargor final de uma história de amor?

Já meu segundo vinho foi o Salentein Reserve Pinot Noir 2011, vinho este proveniente de vinhedos de altitude da região do Vale do Uco, em Mendoza, na Argentina e produzido pelas Bodegas Salentein. Feito com 100% de uvas Pinot Noir, este vinho passa por envelhecimento em barricas de carvalho e posterior amadurecimento em garrafa, antes de ser disponibilizado ao mercado. Na taça uma bonita cor rubi violácea de média intensidade com lágrimas finas, rápidas e sem cor. Ao nariz o vinho mostrou boa tipicidade da casta com aromas de frutos vermelhos silvestres (morangos e cerejas) e toques amadeirados. Na boca o vinho apresentou corpo médio,boa acidez e taninos sedosos e macios. Retrogosto confirma o olfato a acrescentou um toque de baunilha a mistura já existente. Final de média para longa duração. Um vinho que a meu ver consegue preservar características inerentes a casta (Pinot Noir) com uma certa pegada novo mundo, colocando um pouco mais de força e gingado ao vinho.


Pensando nas características que listei no parágrafo acima, a escolha da música para a harmonização do segundo vinho foi "Light My Fire", aqui em uma versão de José Feliciano. A música originalmente foi gravada pela banda norte americana The Doors em seu albúm de estréia e rapidamente estourou, mas esta versão aqui deu ao músico porto riquenho José Feliciano inclusive um Grammy em 1969. Apesar de preservar a letra e a pegada pop, Feliciano consegue aqui incluir seu jeito e voz latinos (novo mundo) a uma música já consagrada, fazendo uso de toda sua sensibilidade musical e uso de violão acústico sendo inclusive considerado um dos primeiros latinos a abrir caminho no mercado americano. 

Deixo aqui meus exercícios de harmonização musical para que sejam julgados agradecendo de antemão a Wines of Argentina e aos organizadores do Wine Bar pela oportunidade de participar do concurso. Espero também que meus leitores possam se divertir, assim como eu, com os vinhos e a música.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário