quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Cava Freixenet Carta Nevada, peixe, batatas e calor: a farra da harmonização continua!


Eu não gostaria de soar repetitivo aqui no blog, mas com esse calor que tem feito por aqui em Sampa não preciso nem de muita desculpa pra buscar um vinho mais refrescante, não é mesmo? E como entramos (eu e minha esposa) numa busca culinária por receitas diferentes, todas as cartas estão na mesa e o vinho tem feito parte integrante deste pacote. E o vinho a ser comentado por aqui, hoje, é na verdade um espumante, o Cava Freixenet Carta Nevada. Para acompanha-lo, pintado da amazônia a milanesa assado, batatas duchesse e abobrinha refogada.


Primeiro o vinho. Uma breve explicação sobre as cavas, seu método de produção e sobre a Freixenet vocês encontram em um outro post meu (aqui) e por isso vou deixar esta parte de lado aqui neste artigo para poupar um pouco a paciência de vocês. Já com o foco no Cava Freixenet Carta Nevada, posso dizer que as variedades utilizadas para a elaboração do vinho base para este cava são Macabeo, Xarello e Parellada. A primeira fermentação se realiza em tanques de aço inoxidável à temperatura controlada entre 14 e 16°C. Uma vez finalizada a primeira fermentação, passados entre 10 e 12 dias, e após uma série de processos e tratamentos, o vinho base está preparado para o coupage e posterior engarrafamento, onde efetuará a segunda fermentação em garrafa. Vamos as impressões.



Na taça o vinho apresentou uma coloração amarelo palha com reflexos quase prateados, tendendo ao dourado. Perlage de média formação e boa persistência. Bom brilho e transparência. 

No nariz o vinho abriu com aromas de frutos de polpa branca e cítricos, com toques florais. 

Na boca o vinho tinha boa estrutura, acidez refrescante e instigante. Apesar de uma leve doçura inicial, não é enjoativo (é um  espumante demi-sec). Retrogosto confirma o olfato. Final de longa duração.

Mais um bom espumante, o terceiro da Freixenet que degusto e não me arrependo. Este foi adquirido pelo Epicerie e valeu a pena. Eu recomendo!

E pra quem se perguntou, se é que alguém o fez, o que são batatas duchesse, segue uma receitinha relâmpago:

Peixinho ao fundo com as batatas duchesse em evidência

"Descasque as batatas e corte-as em pedaços. Em uma panela com água fria, cozinhe as batatas até que fiquem macias, mas não muito moles. Misture com manteiga, gemas batidas com água, alecrim, parmesão e sal a gosto. Coloque a massa em um saco de confeitar e faça um formato como um suspiro, em um único movimento, apenas subindo a mão, sem fazer círculos. Em uma assadeira untada com manteiga, leve as batatas ao forno por aproximadamente 10 minutos." Voilá!

Espero que gostem.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário