segunda-feira, 21 de julho de 2014

Stambolovo Merlot 2007: vinho búlgaro x vinho brasileiro

Em meu último post comentei sobre um vinho lançamento da Vinícola Salton (relembrem aqui). E pouco tempo depois acabei por ter a chance de beber um outro vinho feito da mesma uva, no caso a Merlot, e resolvi postá-lo aqui em seguida numa forma de compará-los. Hoje falaremos do Stambolovo Merlot 2007, vinho oriundo da Bulgária (terra de parte de meus antepassados) e que me inspira ainda hoje curiosidade. Vamos ver o que pude descobrir.


O vinho é produzido pela Vinícola Stambolovo, que tem as suas vinhas e instalações situadas no sul da Bulgária, em estreita proximidade com as fronteiras com a Grécia e a Turquia. A região é de importância geográfica chave. O caminho mais curto da Europa para a Ásia e Ásia Menor passa por estas terras. Muito provavelmente esse foi o caminho pelo qual as primeiras videiras foram trazidas para o que é hoje o território da Bulgária. Com uma história de quase 80 anos no negócio, atualmente a vinícola está entre os principais produtores de vinho na Bulgária. Devido às características benéficas climáticas e terroir da região, bem como com a qualidade e tradição comprovada pelo tempo, hoje a marca Stambolovo é considerado pela maioria dos profissionais de negócios de vinho, a vinícola com os melhores, da mais alta qualidade e mais típicos vinhos Merlot na Bulgária.

Já sobre o vinho em questão, o Stambolovo Merlot 2007, podemos dizer que o mesmo é feito a partir de uvas Merlot de uma micro-região controlada no sul da Bulgária e que depois amadurece em barricas de carvalho por 6 meses e por mais 6 meses em garrafa antes de ser liberado ao mercado. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou cor rubi fechada tendendo ao granada e um fino halo aquoso. Lágrimas finas, rápidas e incolores também complementavam o aspecto visual.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos vermelhos maduros e especiarias com toques tostados.

Na boca o vinho mostrou corpo médio, boa acidez e taninos finos e macios. Retrogosto confirma o olfato num final de média duração.

Um vinho no mínimo diferente, evoluído e que agrada paladares um pouco mais exigentes e acostumados com o mundo do vinho em clara diferença ao vinho anterior, mais frutado e encorpado. Vale conhecer e provar. Eu recomendo um tempo de aeração prévio ao consumo.

Até o próximo!

2 comentários:

  1. Bom dia. Você poderia falar um pouco sobre o sakar merlot 1992.
    Não ache muitas informações sobre ele.
    Agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada Monique, bom dia!

      Normalmente falo sobre vinhos, eventos e relacionados que eu consumo ou presencio. Infelizmente não conheço o vinho citado por você, mas vou procurar saber um pouco mais para poder conhece-lo.

      Obrigado por prestigiar o blog e continue conosco.

      Abraços!

      Excluir