terça-feira, 1 de julho de 2014

Tempestade de granizo dizimou vinhas por toda Borgonha

Como as coisas podem parecer "cômicas se não fossem trágicas". Em meu post anterior, comentando um pouco sobre o terroir Borgonha/Chablis e as situações climáticas típicas da região, em determinado momento eu citei que a época da primavera pode ser especialmente problemática em algumas safras dada a possibilidade de quedas de geadas e granizo podendo ocasionar a perda de parte das vinhas por lá plantadas. Eis que lendo publicações especializadas sobre vinhos, vejo a notícia de que uma destas tempestades pode ter avariado seriamente a safra 2014 por lá. Abaixo, transcrevo e adapto a reportagem original para vocês, meus leitores:

"Enólogos da Borgonha relataram danos generalizados à safra 2014, depois de cinco minutos granizo destruir vinhas em toda a região na tarde de sábado. Produtores da região estão anunciando danos que afetam até 40% do potencial de colheita em todo 2014, principalmente em Meursault, Pommard, Volnay e Beaune neste fim de semana, depois que pedras de granizo do tamanho de bolas de golfe atingiram a região, apesar de todas as medidas anti-granizo adotadas até então. Em Beaune, até 90% das vinhas no vinhedo Clos des Mouches estão sendo contabilizadas como danificadas pelo granizo.

Cerca de 34 geradores de tubo foram implantados a cada 10 quilômetros nas áreas atingidas pela tempestade, atirando partículas de iodeto de prata e acetilacetona de cobre na atmosfera para evitar a formação de granizo, mas pelo visto isto não funcionou. Estão todos em estado de choque por lá, sem entender ao certo o por que tais medidas não funcionaram, talvez a tempestade tenha sido muito intensa e num período de tempo curto demais para a tecnologia reagir.

A tempestade do final de semana acabou com as esperanças de uma safra muito boa e necessária em 2014. Ao contrário do ano passado, a safra de 2014 parecia promissora, com uma floração abundante e uniforme de uvas nas videiras. Numa somatória geral, pode-se dizer que os produtores da região perderam o equivalente a duas colheitas ao longo dos últimos três anos e com isso, algumas propriedades podem enfrentar a ruína financeira, mas sem uma estimativa precisa de quantas podem passar por tal processo. Uma reunião para discutir o impacto da tempestade estaria agendada para ocorrer lá na Borgonha na noite passada, ainda sem qualquer informação ainda divulgada."

Deixo aos meus leitores que tirem suas conclusões. Seriam os efeitos do "Aquecimento Global" e das intervensões do homem na natureza que estariam causando tais tempestades e ações da natureza contra os vinhedos? Só o tempo vai dizer.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário