terça-feira, 31 de maio de 2016

PaXis Douro 2013

A DFJ Vinhos nasceu em 1998, por três amigos: Dino, Fausto e José Neiva Correia (DFJ) com o intuito de fazer vinhos internacionais em Portugal e sepultar de vez o estigma que o país só faz vinhos rústicos. O slogan da DFJ Vinhos simboliza bem essa idéia: The New Portugal. Com o passar dos anos, tornou-se uma das maiores e mais importantes empresas portuguesas no ramo do vinho. Atualmente a DFJ Vinhos é responsável por fabricar anualmente seis milhões de garrafas de rótulos diversificados. Se beneficiando de diversos terroirs ideais, como o Douro e o Algarve, ela foi a primeira a desenvolver um trabalho de implantação de novas castas no país e também buscou promover uma agricultura que não prejudicasse o meio ambiente. O proprietário ainda desenvolveu um método que permite a correta vedação com rolhas de cortiça para seus produtos.


Sobre PaXis Douro 2013, podemos ainda acrescentar que é um vinho feito a partir de um blend de uvas autóctones e tradicionais do Douro, a saber: Touriga Franca, Tinta Roriz e Touriga Nacional. Passa por envelhecimento de 3 meses em barricas de 225 litros de carvalho francês e mais 3 meses em garrafa antes de ser liberado ao mercado. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração rubi violácea de grande intensidade, bom brilho e limpidez. Lágrimas finas, espaçadas e ligeiramente coloridas também se faziam notar.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos escuros em compota, especiarias e toques florais. 

Na boca o vinho tinha corpo médio, boa acidez e taninos macios. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média para longa duração.

Mais um vinho português interessante que provamos por aqui e que, como de costume, entra para um seleto grupo de vinhos que tem um excelente custo benefício. Eu recomendo a prova.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário