segunda-feira, 6 de maio de 2013

Confraria Panem, Vinum Et Caseus: Uma noite portuguesa com certeza!

Todos já sentiam falta das reuniões da confraria, que via de regra deveriam acontecer uma vez ao mês mas que por motivos diversos, ficou dois meses sem acontecer. E é claro que a confraria não poderia voltar em melhor estilo do que com um jantar com o tema "bacalhau". Isso mesmo prezados leitores, todos os pratos (petiscos, entrada e prato principal) eram baseados nesta iguaria, que apesar de não ser originária da região, fez sua fama na cozinha portuguesa.


Mais uma vez fomos recebidos pelos queridos anfitriões Anna e Luiz (mais conhecido como comandante), que sempre nos tratam com tanto carinho que as vezes nem percebemos se estamos em casa ou fora. A cozinha ficaria a cargo da confreira Lucinéia, e mais uma vez só teríamos elogios a fazer. Desde o patê de bacalhau, delicioso com muito azeite e salsinha que criava uma perfeita combinação com os pães e torradinhas dos petiscos, passeando pela salada de grão de bico com bacalhau que só fazia a fome aumentar e chegando ao arroz de bacalhau, incrivelmente saboroso com pedaços de queijo coalho que escortavam um ao outro de forma magistral. Ah, e eu não posso esquecer de um dos petiscos que eu mais gosto: o bolinho de bacalhau, que estava sequinho e com muito recheio, que a vontade era de ficar comente os comendo a noite toda. E as sobremesas então, o que falar da dupla Pudim de Claras com Papo de Anjo? A dupla perfeita para fechar um verdadeiro banquete! Um deleite para glutão nenhum botar defeito.


Mas qual é mesmo o motivo de todos os encontros além da comida e da boa companhia? Os vinhos é claro! E como o tema era voltado a Portugal, nada mais óbvio do que provarmos vinhos portugueses não é mesmo? E o confrade Fábio caprichou, nos apresentando 4 tintos vindos das terras de nossos patrícios. Nas próximas linhas vou comentar um pouco sobre os mesmos. O primeiro vinho apresentado foi o Reserva das Côrtes 2010, um vinho regional de Lisboa feito a partir das uvas Castelão, Tinta Roriz e Alicante Bouschet sem passagem por madeira, básico e frutado, com acidez bacana que deve ser consumido jovem; depois provamos o Reserva do Paço 2010, outro regional de Lisboa, também feito com as mesmas uvas mas envelhecido por 6 meses em barricas o que já lhe confere uma complexidade um pouco maior, onde além de frutas também podemos identificar um pouco de especiarias e toques de baunilha. De corpo médio também tem boa acidez e pode ser consumido tanto sozinho como acompanhando comida; já no terceiro vinho a brincadeira começava a ficar mais séria, o Udaca Touriga Nacional 2008, um vinho feito com a mais famosa casta portuguesa oriundo do Dão e com envelhecimento de 12 meses em madeira, o que já o torna um vinho mais encorpado, complexo e rico. Aromas de frutos escuros, especiarias, flores e toques de madeira. Acidez e taninos equilibrados num final de média duração; e para fechar a noite o último vinho foi o Leo d'Honor 2008, um vinho feito com uvas Castelão vindas de Palmela, um região portuguesa pouco conhecida aqui no Brasil. Um vinho encorpado, opulento com toques de frutos negros e especiarias em evidência, com leve lembrança de madeira ao fundo. Acidez bacana aliada a taninos redondos e macios faziam com que o vinho ficasse por um bom tempo na lembrança, um baita vinho com certeza.


E assim mais um agradável reunião da confraria se acabava com a certeza de que a demora só fez a vontade de que as reuniões aconteçam com mais frequência aumentasse e com a certeza cada vez maior de que os anfitriões, nossa costumeira confreira e chef e o presidente, quem escolhe os vinhos, são pessoas incríveis que fazem com que o encontro e os vinhos fiquem eternizados em nossas mentes e corações. Obrigado Luiz, Anna, Lucinéia e Fábio por mais este encontro delicioso e que venham os próximos!

Até lá!

4 comentários:

  1. Lucineia, obrigada pelo convite, realmente estava tudo muito bom e os anfitriões Anna e Luiz super simpáticos e atenciosos.

    Maria e Aparecido Ribeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grandes novos confrades, um prazer em conhece-los e ter a honra da sua visita aqui no blog.

      Continuem conosco!

      Abraços!

      Excluir
  2. Victor, você está cada vez mais expert na arte de conhecer vinhos. Eu e Luiz é que temos a agradecer a presença de pessoas tão especiais como você e a Carol em nossa casa que estará sempre de portas abertas!
    Anna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anna,

      Obrigado por suas palavras mas estou bem longe de ser expert, apenas gosto muito mesmo.

      Mais uma vez agradeço tb pela receptividade e carinho com que nos trata sempre que vamos na sua casa.

      Beijo

      Excluir