terça-feira, 16 de julho de 2013

El Enemigo Bonarda 2009

E era dia de celebrar! Celebrar a vida, as datas que nos marcam, os dias que se passam, enfim, nossas realizações na vida que vão muito além do lado material. E minha esposa me deu a missão de escolher o vinho para tal oportunidade. Depois de muito pensar em qual vinho tirar da adega, se seria ou não a ocasião certa, decidi que iria levar um velho ditado em conta: "a vida é muito curta para bebermos vinhos ruins". Foi ai que entrou em cena o El Enemigo Bonarda 2009, um presente de casamento muitíssimo interessante.


A Bodega El Enemigo se encontra aos pés dos Andes com vinhedos espalhados por Mendoza, especialmente em Luján de Cuyo, se utilizando das altitudes favoráveis e de clima propenso a produção de uvas de grande qualidade. É também um projeto de dois nomes de peso no cenário argentino: o enólogo Alejandro Vigil e Adrianna Catena, filha de ninguém menos que Nicolás Catena, dois românticos no que fazem e que nutriam uma paixão em comum que veio a uni-los ao redor do vinho. Uma curiosidade é que o nome El Enemigo faz referência ao inimigo que todos temos que lidar no dia a dia: nós mesmos.

O vinho em questão é composto por 90% de uvas Bonarda acrescidas de 10% de uvas Cabernet Franc. Passa por volta de 14 meses de envelhecimento em carvalho e tem 14% de álcool. Foi agraciado com 90 pontos do "nosso amigo" Robert Parker, que o classificou como um dos mais complexos vinhos feitos com uvas Bonarda. Vamos as impressões.

Na taça um cor violácea muito intensa e quase intransponível, sem traços de transparência. Lágrimas finas, ligeiramente mais lentas que o usual e muito coloridas ajudavam a tingir as paredes da taça.

No nariz uma complexidade incrível, passando por frutos vermelhos e escuros maduros, chocolate, especiarias e toques de defumado e tostado. Lembra ainda algum mentolado. Muito interessante.

Na boca o vinho era encorpado, taninos firmes, marcantes e de excelente qualidade e boa acidez, tudo muito equilibrado e mostrando um grande conjunto. Retrogosto confirmando o olfato num final longo e saborosíssimo.

Sem dúvida um grande vinho, excelente qualidade e que deve ter ainda um bom tempo de garrafa dada toda sua complexidade e estrutura. Como minha esposa mesmo disse, quando estava me aproximando do final do vinho, parecia uma criança segurando a taça como se não quisesse largar "meu brinquedo". Vale a prova, eu recomendo!

Até o próximo!

4 comentários:

  1. Xará, tenho investido na Bonarda, com bom retorno.
    A qualidade dos vinhos dessa uva cresce exponencialmente, mas os preços se mantêm atraentes.
    Vou atrás desse que vc indicou.
    Abs,
    Vitor
    loucoporvinhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente os Bonardas tem me surpreendido sim. Aliás tem servido de parâmetro pra mostrar inclusive que a Argentina é muito mais do que Malbec.
      Obrigado pela visita.

      Abraços

      Excluir
  2. Victor, muito bom o post.
    Tenho bebido alguns Bonarda(s), esse está na mira! Bom ler sobre ele.

    Abraço e parabéns pelo blog!
    Felipe.
    http://bebadovinho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras de incentivo. Experimente o vinho sim, tenho certeza que não irá se decepcionar.

      Abraço!

      Excluir