segunda-feira, 15 de julho de 2013

Faces, os vinhos oficiais da Copa do Mundo de 2014

O blog acompanhou o lançamento oficial dos vinhos Faces em São Paulo

Na última sexta feira (12/07) o blog teve o privilégio de acompanhar em São Paulo o lançamento dos vinhos oficiais da Copa do Mundo de 2014. E o local escolhido não poderia ter sido melhor: a churrascaria Vento Haragano na região do Itaim, zona sul da capital.


A vinícola escolhida pela Fifa, após muita disputa com outras vinícolas nacionais e internacionais, foi a Lídio Carraro e seus vinhos de boutique, e para quem não conhece a vinícola, um breve histórico: Fundamentados no conceito de vinícola boutique (já discutido aqui no blog), seus vinhos tendem a expressar o "terroir" no qual são plantados através da busca pela integridade e quebra de paradigmas, de maneira sustentável e pouco ou nenhum uso de recursos externos para controle dos vinhedos/vinhos (baixo uso de defensivos químicos, não utilização de carvalho para correção dos vinhos, etc). Como também já comentei um pouco sobre os seus vinhos em outras oportunidades (aqui, aqui ou aqui) não irei me alongar muito nisso.


Os vinhos da copa são dois até o momento, um branco e outro tinto, e até o final do ano teremos ainda uma terceira opção, um rosé. O conceito da marca "Faces" , criada para a Copa do Mundo é no entanto, o que   mais me chama a atenção. Com a tentativa de resgatar a "brasilidade"e o mix de povos e culturas que acabou por formar o que hoje chamamos de brasileiros serve de base para todo o projeto, que nos foi muito passionalmente apresentado pela Enóloga e Diretora Técnica da vinícola, Monica Rossetti. Aliás, uma curiosidade e também motivo de grande orgulho pra nós brasileiros apreciadores de vinhos: além do trabalho para a Lidio Carraro, a Monica também presta consultoria para vinícolas italianas no Piemonte e na Toscana.

O Faces branco é um vinho de corte produzido a partir de três uvas: Chardonnay, Moscato e Riesling Itálico na proporção de 1/3 para cada na composição final e como de praxe os vinhos não passam por madeira. Pelo que a Monica nos passou, apenas o Chardonnay passa por fermentação malolática. Um vinho de cor amarelho palha com reflexos verdeais. Aromas de frutas cítricas e tropicais, toques de flores e leve lembrança de baunilha. Corpo leve para médio. Acidez refrescante. Fica um tempo médio em boca. Um vinho bacana, e se o preço for mesmo o que foi revelado, em torno de 40 dinheiros, acho um bom vinho para o dia a dia.


Já o Faces tinto é um pouco mais "complicado". Explico. É um vinho de corte que utiliza 11 uvas em sua composição, lembrando alguns pesos pesados do mundo do vinho europeu (apenas em termos de composição, algo não muito familiar ao brasileiro acostumado com vinhos varietais). A idéia aqui complementa ainda a campanha Faces pois simula a escalação de um time de futebol (e seus 11 jogadores). E estas uvas são: Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat, Pinot Noir, Touriga Nacional, Malbec, Nebbiolo, Alicante, Ancellotta, Teroldego e Tempranillo. Na taça uma cor violácea, trás no nariz aromas de frutas vermelhas e escuras frescas misturadas além de toques de especiarias. Na boca um corpo de leve a médio, boa acidez e taninos bem finos e suaves. Sem defeitos, agrada mas não tanto quanto o branco. Com o mesmo preço do branco, empolga menos mas mesmo assim ainda é justo.

Depois disso ainda pude rever alguns vinhos das outras linhas da Lidio Carraro, conversar com a equipe Lidio Carraro presente na apresentação (Leonardo Khouri - Gerente de Contas e Ana Cristina - Representante Comercial para São Paulo) sobre vinhos, mercado, etc além é claro de um belo almoço com os já aprovados cortes de carne disponíveis na casa.

Mais do que apresentar os vinhos da Copa do Mundo para a imprensa e lojistas, o evento e a campanha da Lidio Carraro tem que servir para despertar o consumidor brasileiro e o produtor nacional para que juntos façamos o mercado crescer. Agradeço mais esta oportunidade e vamos junto na divulgação.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário