segunda-feira, 29 de julho de 2013

Herdade do Rocim Tinto 2009


A volta dos que não foram! Dando continuidade, mesmo que tardia ao Winebar realizado em 17 de junho, onde não tive tempo hábil de provar e postar sobre os vinhos da noite, agora consegui a oportunidade perfeita para postar minhas impressões sobre este amigo patrício aqui, o Herdade do Rocim Tinto 2009.


Como já comentei no post anterior sobre o assunto (aqui), este é mais um vinho regional Alentejano (dos quais sou normalmente muito fã) e que apresenta características muito particulares e marcantes. Produzido a partir de várias castas autóctones (como costume na região e no país) e uma internacional intrusa, a saber: Alicante Bouschet, Aragonez, Syrah, Touriga Nacional e Trincadeira o vinho tem um teor alcoólico de 14% e Amadurece 80% em barricas de carvalho francês e 20 % em barricas de carvalho americano. Vamos as impressões.

Na taça o vinho apresentou cor rubi violácea de média intensidade, alguma transparência e brilho. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas compunham ainda o conjunto visual.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutas vermelhas, toques de especiarias e lembrança de chocolate. Tudo muito harmônico e com boa intensidade.

Na boca o vinho tinha corpo médio, acidez um pouco mais baixa do que eu gostaria (embora eu ache que esta é uma característica mais ou menos comum aos vinhos da região) e taninos macios e redondos. Retrogosto confirma muita fruta e chocolate na boca. Final de média duração.

Um vinho correto, sem defeitos e que pode agradar principalmente aos menos experientes pela sensação mais doce em boca, conjunção do frutado, teor alcoólico e traços de amadurecimento em barrica. Vale conhecer, embora seu irmão "mais velho" seja incomparável.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário