sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Montchenot Blanco 2013: Vinho hermano para arrefecer o calor!


E mais uma tentativa de amenizar o calor que assola o verão brasileiro, busquei nas profundezas da minha adega algum vinho branco que pudesse ser refrescante e de alguma forma acompanhasse refeições leves e desse aquela sensação de prazer que buscamos quando bebemos vinho. E foi assim que resgatei o Montchenot Blanco 2013 e coloquei-o em nossa mesa. 


O vinho é produzido pela Bodegas Y Viñedos Lopez, que representa um caso excepcional na indústria do vinho na Argentina, pois começou em 1898 e continua até hoje nas mãos da família fundadora, sendo mais de 116 anos de tradição. Seu fundador, José López Rivas, chegou em 1886 vindo da aldeia de Algarrobo em Málaga, na Espanha, onde se dedicou juntamente com sua família as videiras e oliveiras. Ele decidiu instalar seus vinhedos no país (Argentina) e escapar de uma praga devastadora, a filoxera, que afetou as vinhas por toda a Europa. Em 1898, ele estabeleceu-se definitivamente em Mendoza, e o peso da tradição vinícola da família Lopez não tardou a surgir. No mês de março deste mesmo ano começou a fazer os seus próprios vinhos nas melhores áreas da província, produzidos até os dias atuais com vinhas próprias e um princípio que permanece desde então: controlar todas as etapas da produção dos vinhos, cuidando e supervisionando cada detalhe.

Sobre o Montchenot Blanco 2013, podemos dizer que é um vinho elaborado a partir de uvas Chenin Blanc cuidadosamente selecionadas,  de vinhas da propriedade localizada em Los Carolinos, em Luján de Cuyo, Mendoza. É fermentado em tanques de inox, onde permanece até ser engarrafado, não passando por qualquer envelhecimento em barricas de carvalho. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita coloração amarelo palha com reflexos verdes, bom brilho e bastante limpidez. 

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas cítricas e toques florais.

Na boca o vinho apresentou corpo médio e uma ótima acidez, se mostrando bastante gastronômico também. Retrogosto confirma o olfato e o final é de média para longa duração.

Um bom vinho branco para o dia a dia, bem feito e sem defeitos. Acompanha uma boa conversa ou mesmo uma refeição rápida e despretensiosa. Convida ao próximo gole. Realmente não é só de Malbec que vivem os nossos hermanos. Recebi mais esse bom vinho do Winelands Clube do Vinho, o Clube que eu assino e recomendo. Eu recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário