segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Vinhos, picnic, vinhedos & amigos: Quer harmonização melhor?

Se tem algo que eu não fazia a muito tempo era um picnic. E o mais engraçado disso tudo é que, quando éramos mais novos, talvez não déssemos tanta importância para determinadas coisas, como um picnic. Eu sempre fui muito agitado e desde pequeno, não gostava de ficar muito tempo parado e tal. E um picnic nem era uma das minhas atividades preferidas por este motivo. Mas com o passar do tempo, percebemos que há coisas que precisam de tempo, de calmaria, enfim, estar em meio a natureza, com amigos, boas comidas e claro, muitos vinhos, é sempre gostoso. E foi isso que fizemos este final de semana, na Vinícola Bella Quinta, em São Roque, no interior paulista.


O dia se desenhava azul, ensolarado e quente. Os amigos chegavam. O local era verde, colorido e a relva estava até meio úmida. Ao estendermos as toalhas e alinharmos em colorido todos os "comes e bebes", a tarde já mostrava que seria especial. O tema da tarde seria vinhos brancos e comidinhas. Como o blog é de vinhos, vou comentar um pouco sobre os vinhos degustados por lá. Espero que se deliciem e capturem a essência do lugar, assim como nós fizemos.


Para abrirmos os trabalhos e fazermos o primeiro brinde de 2015, nada poderia ser mais emblemático que um Champagne. E o escolhido para tal foi o Champagne Aubry Brut Premier Cru, feita pelos irmãos Pierre e Philippe Aubry em uma área de cinco hectares compostos por mais de sessenta parcelas. Esta gama de solos, exposições, diferentes variedades de uvas, permite que os dois irmãos perpetuem o estilo que o nome Aubry ajudou a criar. O interessante destes irmãos é que usam todas as uvas permitidas em Champagne para elaborar seus espumantes e não se prendem somente as 3 principais. No caso desta especificamente 45% Pinot Meunier, 25% Pinot Noir, 25% Chardonnay e 5% das variedades antigas Arbanne, Petit Meslier e Fromenteau. Fica de 18 a 24 meses em contato com as leveduras. Todo esse esmero gera um champagne de coloração amarelo com reflexos dourados, boa formação de perlage, com borbulhas bem pequenas e persistentes. Era "barulhenta"! Aromas cítricos, de frutos tropicais, florais, minerais e de panificação faziam parte do olfato. Em boca é cremosa, fresca e confirma toda complexidade. A lembrança fica muito tempo na boca. E esse era só o começo.


Para continuarmos em alto nível passamos ao espumante Domno .Nero Blanc de Blancs, do grupo Famiglia Valduga, que co-investe neste projeto com uma nova empresa, a Domno do Brasil. Este é um espumante nacional 100% Chardonnay feito pelo método charmat. Apresentou coloração amarelo palha com reflexos esverdeados, perlage persistente e bem delicado. Aromas de abacaxi e frutas tropicais. Na boca é fresco, refrescante e com boa formação de espuma. Confirma o olfato e o final é de média duração.


Depois era hora de começarmos com curiosidades, com o Nomad Pinot Grigio 2012, diretamente da Romênia, produzido por Domeniile Sahateni, vinícola romena de propriedade de Aurelia Visinescu (enóloga). Falei mais sobre ela e a vinícola aqui. Um varietal 100% Pinot Grigio. Coloração palha clara, com reflexos verdes, brilhante e de boa transparência. Aromas discretos de frutos tropicais. Corpo leve, acidez na medida. Retrogosto confirma o olfato. Final curto e discreto.


Continuamos a agradável tarde em companhia do vinho americano Cline Viognier North Coast 2012 da Cline Cellars, uma vinícola fundada inicialmente em Oakley na California que depois teve sua sede levada para Carneros, no Sonoma. Aqui um 100% Viognier. Cor amarelo dourado com toques meio rosados, bastante brilho e ótima transparência. Aromas de fruta tropicais (abacaxi e pêssego), frutas cítricas e toques florais. Me lembrou um pouco de lichia também. Corpo médio, boa untuosidade e acidez moderada. Retrogosto confirma o olfato num final de longa duração.


Nos aproximávamos do final do nosso encontro, mas ainda tínhamos um vinho para degustar. O escolhido para fechar com chave de ouro nosso dia foi o Sibaris Undurraga Reserva Especial Chardonnay 2012. A Viña Undurraga foi fundada em 1885 sendo que a primeira colheita se deu em 1891. Dai pra frente, só alcançou o sucesso, sendo inclusive a primeira vinícola chilena a exportar para o exigente mercado americano em 1903. Possui vinhedos espalhados nas melhores zonas vinícolas do Chile e são dedicadas exclusivamente ao cultivo e produção de vinhos. A linha de vinhos Sibaris se dá em homenagem a cidade homônima, reconhecida na antiguidade pelo refinamento de seus habitantes que gostavam de luxo e do prazer dos sentidos. É um vinho 100% Chardonnay com uvas provenientes do vinhedo chamado Fundo de Santa Ana no Vale do Maipo, fermentado e maturado por 9 meses em barricas de carvalho francês. Sua coloração se mostrou de um amarelo com tendências douradas, bom brilho e muita limpidez. Nos aromas encontramos frutas como abacaxi e pêssego, com toques de mel, baunilha e algo que lembrava fósforo. Na boca é um vinho untuoso, fresco e que encanta. O retrogosto confirma o olfato e o final é de longa duração.


Depois de algum papo, muitos bons vinhos, reencontros, era hora de nos despedirmos com a vontade de que encontros como este aconteçam cada vez mais e sejam frequentes no ano que se inicia, mesmo com as agendas cheias de todos nós.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário