quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Lovico Chardonnay Reserve, Rolinhos de Berinjela e Suflê de Frango!

Para conseguir sobreviver com este calor senegalês que assola nossa terras brasilis somente com comidinhas mais leves e muito vinho branco. E essa tem sido a tocada desde a época das festas de final de ano por aqui, no reduto do Balaio. E não foi diferente com a combinação descrita ali em cima no título do nosso post de hoje. O vinho que participou de mais esta orgia foi o Lovico Chardonnay Reseve 2011


O vinho é produzido pela Vinícola Lovico Suhindol, na região de Suhindol, especificamente ao norte dos pés do montes das Balcãs e na parte sul da Planície do Danúbio, na Bulgária. O terreno é do tipo planície -montanhosa simples, com superfícies polifaciais e exposição do sudeste e do leste do sul, com inclinação de 2 a 6 graus e altitudes de 230-350 metros acima do nível do mar. Em termos de clima, esta região é abrangida pelo domínio climático continental europeu. A Vinícola Lovico Suhindol possui cerca de 300 hectares de vinhedos próprios na região, dentre os quais se destacam as castas Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay, Mavrud, Syrah, Cabernet Franc, Muscat, Sauvignon Blanc, entre outras, bem como a Gamza - uma casta emblemática autóctone do país. Foi fundada em 1909 e é uma das mais antigas do país além de ser um dos principais exportadores de vinhos da Bulgária, com a história das exportações datando desde 1914 e com destinos em mais de 40 países em 5 continentes. Hoje a vinícola é um dos principais nomes na indústria produtora de vinho da Bulgária. A implementação de métodos de vinificação moderna, aliada à tradição e experiência de mais de 100 anos de prática de negócios, garantem a criação de vinhos com o verdadeiro caráter búlgaro e de muita qualidade.

Sobre o Lovico Chardonnay Reserve 2011, podemos acrescentar que é um varietal 100% Chardonnay com uvas da região de Suhindol, na Bulgária e que passa 4 meses em carvalho. Uma curiosidade é que a fotografia do rótulo retrata as vinhas ancestrais que foram plantadas em 1909 quando a vinícola foi fundada. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração amarelo palha com reflexos tendendo ao dourado, muito límpido e com um bom brilho.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos cítricos e tropicais, toques de mel e leve lembrança de baunilha.

Na boca o vinho mostrou corpo médio e boa acidez. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média para longa duração.

Como nem só de bebidas vive o homem, minha mulher preparou iguarias deliciosas: rolinhos de berinjela grelhada recheada com ricota temperada, tomate seco e manjericão além de um delicioso suflê de frango sem glúten. A untuosidade da preparação, o leve amargor da berinjela e o toque fresco do manjericão casaram bem com o vinho. O suflê também não apresentou maiores dificuldades e foi um bom aliado da refeição. Recebi mais esse bom vinho do Winelands Clube do Vinho, o Clube que eu assino e recomendo. Me parece que irá acompanhar bem esse nosso verão senegalês. Eu recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário