sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Restaurante Avek e o Menu Degustação para clientes Personnalité

No final de semana passado tive uma oportunidade muito bacana: conhecer o restaurante francês Avek numa brincadeira de menu degustação que é preparado exclusivamente para clientes do banco Itaú Personnalité. E agora chegou a hora de contar um pouco desta experiência e dividi-la com vocês, caríssimos leitores. 

O sistema de menu degustação é muito interessante pois o o cliente experimenta, em uma só refeição, diversos pratos em porções menores do que as habituais. Em geral, as receitas são especialidades do chef, ou seja, uma amostra do melhor que a casa tem a oferecer. É como se o chef tivesse a oportunidade de mostrar todas suas habilidades. Normalmente é a oportunidade de se conhecer o trabalho autoral do mesmo. É desenvolvido em conjunto com os fornecedores de matéria prima e em geral, tem muita qualidade. No entanto é preciso disposição, pois mesmo que as porções sejam em tamanho reduzido, no final das várias etapas, você terá comido o mesmo que uma refeição "padrão" com entrada, prato principal e sobremesa.


Já o Restaurante Avek, como o próprio nome já entrega, tem inspiração na cozinha francesa do chef Alain Uzan, que cresceu no restaurante dos pais em Vendeé, balneário francês, onde começou o seu contato com a cozinha. Em 1999, durante uma viagem de férias, decidiu investir no mercado brasileiro. Desde então além de gerir seu próprio restaurante, prestou consultoria em diversos outros locais na cidade de São Paulo. Participou ainda de grandes eventos, com palestras e aulas por todo o Brasil. A casa tem ainda uma particularidade, da qual muito gostei, que é a venda de rótulos de vinho a preços muito convidativos (quase de importadora) tanto para consumo no local como para levar para casa. A carta ficou a cargo da sommeliére Luciene Carvalho, que dentre vários lugares, desfilou seu talento pela Ville du Vin. O ambiente é muito elegante, simples e convidativo, realmente inspirado nos bistrôs franceses. Tem até o tradicional menu escrito a giz num painel negro. Com um grande sofá ao longo da parede dos fundos, que cria os assentos das mesas por lá dispostas, a sofisticação está presente em tudo, até nos "abajures" ao longo das parede até o teto, criando uma agradável experiência.


Começamos a brincadeira com "Ostras a Moda de Nantes", deliciosamente quentes e servidas com um molho a base de manteiga clarificada e cebola roxa, servidas sobre uma cama de sal grosso. Sensacional! 

Depois partimos para um "Mil folhas de queijo de cabra com endívias", onde a crocância da massa mil folhas se misturava a untuosidade do queijo de cabra derretido e com a ajuda do leve amargor das endívias criava uma explosão de sabores na boca.


A coisa começou a ficar um pouco mais séria quando chegou a vez do "Mini ravióli de Brie com molho shimeji" onde a combinação perfeita dos ingredientes fazia ainda com que pudéssemos sentir ainda cada um deles de fácil modo, mostrando que a preocupação com cada detalhe fosse colocada a prova a cada garfada. 


O próximo prato foi um "Salmão com purê de mandioquinha". O peixe estava no ponto, cozido e úmido por dentro com uma leve crosta crocante por fora e o purê, sem muito segredo, servia de fiel escudeiro.


Agora, antes da sobremesa, surgiu sobre nossa mesa um belo "Medalhão de filé ao molho poivre". Suculento, no ponto (rosa por dentro e levemente tostado por fora) o filé era escortado por gostosas batatas assadas. Delícia.


E o gran finale ficou por conta de um delicioso "Profiterolle com sorvete de creme e caldo de chocolate". Por fora uma crocante massa de carolina e por dentro um gostoso sorvete de creme com toques de chantili e calda quente de chocolate, tudo no capricho e com uma apresentação incrível!


Vocês devem estar se perguntando que, num blog de vinhos, ainda não falamos do vinho não é mesmo? Mas é claro que teve vinho para acompanhar toda a esbórnia relatada por aqui. Procurávamos um vinho branco fresco, corpo médio e que acompanhasse os pratos de forma serene, sem sobressair nem competir com os mesmos. Com a ajuda do sommelier chegamos ao Château Saint Maurice Côtes du Rhône Les Parcellaires Branco 2013. Este vinho é feito em Côtes du Rhône com as variedades Grenache e Roussane (50% de cada). Vamos as impressões?

O vinho tinha uma coloração amarelo palha com reflexos dourados, límpido e brilhante. No nariz o vinho mostrou aromas de frutos cítricos, flores e mel. Na boca o vinho tinha corpo médio e acidez na medida. O retrogosto confirma o olfato e o final era de longa duração. Foi um grande companheiro de toda a refeição, e deixou o dia ainda mais saboroso.

Para quem é cliente do referido banco, recomendo provar o menu degustação do Restaurante Avek. Conciso, saboroso e muito bem elaborado, irá agradar aos mais refinados paladares. Enquanto isso iremos provar outras opções que ofereçam tais serviços e compartilharemos por aqui.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário