terça-feira, 1 de março de 2016

Garzón Varietales Tannat 2013: É dia de Uruguai na #CBE

E mais uma vez chegamos àquele dia que sempre esperamos com entusiasmo todos os meses, que é o dia do mês quando os membros da #CBE - Confraria Brasileira de Enoblogs - numa gostosa brincadeira, postam todos sobre um mesmo tema, relacionado ao vinho evidentemente. Normalmente este dia é o primeiro dia do mês, sempre que conseguimos. Neste mês o tema para março, foi indicado pelo casal Maykel e Anna, do blog Vinho por 2. Mesmo segurando as mamadeiras dos gêmeos eles aceitaram o convite e indicaram: "Tannat do Uruguai, sem limite de preço".


Quando Alejandro Bulgheroni e sua esposa Bettina descobriram Garzón em 1999, viram nele sua “pequena Toscana em Uruguai”, e tiveram um sonho. Um sonho familiar que hoje se fez realidade: Agroland. Assim, entre olivedos e vinhedos, começaram a projetar Bodega Garzón, produtora do vinho de hoje no blog. Os vinhedos da Bodega Garzón estão localizados em uma zona privilegiada do Uruguai, próxima a Punta del Este, La Barra e José Ignacio, o paraíso turístico uruguaio. A proximidade do oceano (18 km) cria também um clima que trás presente uma agradável brisa fresca quase diária, fazendo com que as uvas (principalmente as brancas) amadureçam da melhor forma possível.

Já sobre o Garzón Varietales Tannat 2013, podemos ainda acrescentar que este vinho feito 100% com a uva Tannat da própria região de Garzón, em Maldonado, no Uruguai e que o vinho passa por envelhecimento de 9 meses em barricas de carvalho francês. Sem maiores delongas, vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração violácea de grande intensidade com bom brilho e alguma limpidez. Lágrimas mais grossas, lentas e coloridas escorriam pelas paredes da taça.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos negros, flores, especiarias, café com leite e um leve toque animal.

Na boca o vinho era encorpado, com boa acidez e taninos firmes porém de muita qualidade. O retrogosto confirma o olfato e dá um ligeiro toque mineral ao conjunto. O final era de longa duração.

Um belo vinho uruguaio, que mostra toda a potência e elegância que os vinhos a partir da uva Tannat podem alcançar por lá. Eu recomendo a prova. Tarefa dada é tarefa cumprida, e que venha a próximo tarefa para a #CBE - Confraria Brasileira de Enoblogs.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário