terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Clos de Los Siete 2008

E seguindo as postagens fruto de minha participação nas degustações, segue agora um argentino de grife. Feito por uma joint venture de uma família francesa e o famoso flying wine maker Michael Roland em terras mendocinas, este vinho é um blend de sete vinhedos (como o nome sugere) todos no Vale do Uco, em Mendoza e com as seguintes proporções: 48% Malbec 28%Merlot 12% Cabernet Sauvignon 12%Syrah.  Não encontrei maiores informações sobre maturação em barricas ou coisas do gênero, mas enfim, vamos as impressões.


Na taça uma cor violácea viva, brilhante e bem escura com lágrimas finas, rápidas e levemente coloridas. Sem halo de evolução.

No nariz, aromas de frutas vermelhas e escuras e ligeiro toque lácteo, não identificado ao certo. Ao fundo, algo de floral. Um pouco tímido, em minha opinião.

Na boca o vinho apresentou corpo médio, acidez na medida, taninos finos e ligeiramente rascantes, bem integrados com o restante. Retrogosto frutado. Final de média duração.

Um bom vinho, sem defeitos e com pedigree. Porém pelo preço que eu andei pesquisando, talvez existam opções melhores. De qualquer maneira, fica a dica.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário