terça-feira, 12 de agosto de 2014

Gallardía Del Itata Cinsault 2013: O primeiro tinto do #WinesofChileSP

E começávamos a saga dos vinhos tintos chilenos durante a Masterclass do 4o Tasting Wines of Chile, vinhos estes selecionados por Héctor Riquelme, o afamado enólogo chileno que organizou e selecionou os vinhos da degustação. E o primeiro vinho tinto é o Gallardía Del Itata Cinsault 2013, da Viña De Martino.


A Viña De Martino foi fundada em 1934 por Pietro De Martino Pascualone, que veio da Itália em busca de satisfazer sua paixão pela produção de vinhos. Em sua busca pelo lugar perfeito, ele encontrou a Isla de Maipo, localizada no Vale do Maipo, entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano Pacífico. O lugar tem o nome da cidade que, até o início do século XX, estava no meio de vários braços do rio Maipo. Depois de um forte terremoto estas ramificações secaram, deixando apenas um grande braço do rio. Seus vinhedos estão localizados exatamente onde costumava passar um destes braços do rio, que lhe dão características únicas e especiais para área de produção de vinho. Hoje a propriedade cresceu dramaticamente, aumentando para 300 hectares sob manejo orgânico, mantendo a essência de uma vinícola familiar. A terceira e quarta gerações da família De Martino estão atualmente trabalhando na viña.

Sobre o Gallardía Del Itata Cinsault 2013, é um vinho feito com 100% de uvas Cinsault vindas de Guariligüe, no Vale do Itata no Chile, lugar onde ainda se conservam técnicas ancestrais de cultivo das videiras, com manejo sustentável e manutenção das tradições. O vinhedo que da origem a estas uvas está localizado a 22 km do Oceano Pacífico e 500km ao sul de Santiago, numa região montanhosa de solos graníticos e vinhas velhas. Na fermentação, os grãos inteiros passam por tal processo em tanques de aço inox com leveduras nativas sendo que a maceração total do mosto é de 40 dias. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma cor rubi violácea de média intensidade com um excelente brilho e uma linda transparência. Lágrimas finas, rápidas, incolores e em grande quantidade.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos vermelhos frescos.

Na boca o vinho se mostrou de corpo leve para médio, uma boa acide e taninos finos. Retrogosto confirma o olfato. Final de média duração.

Um vinho que me pareceu simples, despretensioso mas muito agradável e delicioso, daqueles que a garrafa se vai facilmente. Me parece que o vinho não sofre maceração carbônica porém me lembrou muito um beaujolais. Eu recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário