domingo, 1 de março de 2015

KM 0 Río de La Plata Gran Reserva Pinot Noir: Uruguai para a #CBE

É mais uma vez aquela época do mês em que os enoblogueiros espalhados por este Brasil (e mundo) afora se unirem em mais uma degustação virtual, a já conhecida por aqui #CBE - Confraria Brasileira de Enoblogs. Pela segunda vez desde que entrei para esta turma bacana, tive a honra de escolher o tema, que foi: "um vinho varietal tinto ou branco do Uruguai qualquer, menos Tannat". A minha escolha foi um pouco óbvia: KM 0 Río de La Plata Gran Reserva Pinot Noir. Vamos ver como foi a degustação?


Já cometei algumas vezes por aqui sobre a vinícola e sua história, mas não custa nada relembrar: "A Bodega Irurtia, produtora do vinho em questão, nasceu com a chegada ao Uruguai do imigrante Vasco Don Lorenzo Irurtia nos primeiros anos do século passado. Sua paixão pelos bons vinhos e a dedicação ao trabalho no cultivo da videira dão seus frutos em 1913 com a primeira vindima. A quarta geração da Família Irurtia ainda está estabelecida em Carmelo e hoje administra os negócios da família. Cinco irmãos, filhos e filhas de Dante Irurtia e Estela González assumiram o legado da família e o desafio de ir junto com seus antepassados por uma ​​estrada infinita, através da melhoria da qualidade de seus vinhos com a mesma paixão e dedicação de seus antepassados e a responsabilidade de manter e aumentar o reconhecimento internacional dos vinhos Irurtia, da cidade de Carmelo e do orgulho uruguaio".

Sobre o KM 0 Río de La Plata Gran Reserva Pinot Noir, podemos acrescentar que é um varietal 100% de uvas Pinot Noir da região de Carmelo, no Uruguai que passa por todas etapas de fabricação em tanques, até a fermentação malolática, sendo que após este período, o vinho passa por 12 meses em barricas de carvalho. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bela coloração rubi brilhante e límpida com tendências granada. Lágrimas finas, rápidas, medianamente espassadas e sem cor também compunham o aspecto visual.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos silvestres, terrosos e ervas. Leve toque de baunilha ao fundo.

Na boca o vinho apresentou corpo médio, boa acidez e taninos finos. Retrogosto confirma o olfato e o final é de longa e saborosa duração.

Tarefa dada é tarefa cumprida, #CBE em dia! Um vinho fresco, complexo e elegante que combina bem tanto com o verão que enfrentamos por aqui quanto com dias mais frios. Recebi mais esse bom vinho do Winelands Clube do Vinho, o Clube que eu assino e recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário