sexta-feira, 8 de maio de 2015

Angels Tears Merlot Cabernet Sauvignon 2013: Lágrimas sul africanas!

Em mais um de nossas incursões ao mundo vitivinícola em busca de diferentes vinhos e regiões pouco faldas por aqui, viemos parar na África. Você poderá dizer, e eu não tiro a sua razão, de que a África do Sul já é sim comentada por aqui, em nosso mercado. Eu concordo com você, ao mesmo tempo que discordo ligeiramente. Sempre que pensamos em África do Sul, a primeira coisa que se vem a cabeça são vinhos da uva Pinotage, o que não é o caso aqui. E mais, eu ainda vejo que a oferta de vinhos da África do Sul é pequena, se compararmos a outras regiões do mundo como Argentina, Chile, Itália, França e por ai vai. Enfim, tudo isso pra falar que hoje é dia de Angels Tears Merlot Cabernet Sauvignon 2013 por aqui.


A história da Grande Provence Heritage Wine State, produtora do vinho, é muito bonita e comovente, como a história da África do Sul em geral. A aproximadamente 300 anos atrás, um francês protestante de nome Pierre Joubert escondeu sua bíblia dentro de um filão de pão e botou o pé na estrada, fugindo de perseguição religiosa chegando a um lugar chamado de Elephant's Corner, na África do Sul, mais tarde rebatizado de Franschhoek. Se casou durante a viagem e prosperou em sua fazenda, a Grande Provence Herritage Wine State, com vinho e outras culturas. Após seu falecimento seu legado continuou até que em 2004 a propriedade foi adquirida por homens de negócios da Bélgica e Holanda, que com seu interesse por comida e vinhos finos, mantiveram acesa a chama do negócio. 

A linha de vinhos Angels Tears tem seu nome relacionado a uma lenda local que diz que no século 17, entre as vinhas exuberantes da Cidade do Cabo, a colheita havia produzido um notável safra. Foi ai que anjos adentraram a adega e derramaram lágrimas de alegria quando este belo vinho tocou seus lábios. E cada gota deste vinho Angels Tears é um testemunho a esta lenda e a Grande Provence Wine State orgulhosamente abriga o legado de tal história. Sobre o Angels Tears Merlot Cabernet Sauvignon 2013, podemos acrescentar que é um blend baseado nas uvas Merlot e Cabernet Sauvignon sem envelhecimento em barricas. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita cor violácea de grande intensidade, muito brilho e boa limpidez. Lágrimas finas, rápidas e coloridas também tingiam as paredes da taça.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos e toques de especiarias. 

Na boca o vinho se mostrou de corpo médio, boa acidez e taninos macios. Retrogosto confirma o olfato e o final era de média duração.

Uma boa opção de vinho para o dia a dia, que pode substituir as opções mais conhecidas (Argentina, Chile) e que vem a somar qualidade numa linha de vinhos de entrada disponíveis no mercado nacional. Eu recomendo a prova. Mais um vinho do clube de vinhos da Winelands, o clube que eu assino e recomendo.

Até o próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário