sábado, 16 de maio de 2015

Champagne Lanson e Cantu Importadora: Dupla de peso!

Na última semana tivemos o Cantu Day etapa de São Paulo, um evento da Cantu Importadora que apesar de primariamente focado no trade, apresentou também para imprensa e formadores de opinião o lançamento de grandes nomes que passam a compor seu catálogo, como os rótulos da King Estate e Sutter Home, além do tradicional champagne francês Lanson, foco do nosso post de hoje.

O Champagne Lanson é uma casa de localizada em Reims. Desde 2006 é de propriedade do grupo Lanson-BCC, liderada por Bruno Paillard. A Lanson foi fundada em 1760 pelo magistrado François Delamotte. Ele foi sucedido por seu filho, Nicholas-Louis, em 1798 e formou uma parceria com Jean-Baptiste Lanson, que, em 1837, deu à empresa o nome de Lanson et Cie. A empresa nasceu focada, como ainda é hoje, na exportação de champanhe para mercados estrangeiros. Até o final do século 19, a Lanson fornecia champanhe por nomeação real para os tribunais do Reino Unido, Suécia e Espanha. A Lanson continua a ser um fornecedor de champanhe para a família real britânica e apresenta o brasão de armas de Elizabeth II em suas garrafas. Algumas curiosidades: usa na maioria de seus champagnes um maior proporção de Pinot Noir e Chardonnay pois entende que é o estilo mais puro de fazer tais vinhos espumantes, fazem a vinificação sem a fermentação malolática no intuito de manter o frescor da fruto em seus vinhos base e utiliza períodos de envelhecimento maiores do que os comumente aplicados por lá no intuito de obter vinhos mais prontos e com maior refino. 

No evento foram apresentados dois rótulos aos que estiveram presentes: Black Label Brut e Brut Rosé. Mas, tem sempre um mas! Alguns poucos privilegiados tiveram acesso a uma degustação especial que mostrou também um rótulo mais top deles, o Extra Age Brut. Vamos ver o que cada um deles mostrou ?

Falando primeiro do Champagne Lanson Black Label Brut, que é um champagne elaborado com Chardonnay (35%), Pinot Noir (50%) e Pinot Meunier (15%), ficando 3 anos em contato com as leveduras pós segunda fermentação, antes do disgorgement. Apresentou coloração amarelo palha, brilhante, límpida e com perlage de pequeno pra médio tamanho e bastante duradouro. No nariz apresentou aromas típicos de frutos cítricos tais como abacaxi, mel, floral e algo de panificação. Um champagne muito fresco e cremoso em boca, que deixa sempre um gostinho de quero mais.


Em seguida provamos o Champagne Lanson Brut Rosé, este elaborado com 32% Chardonnay, 53% Pinot Noir e 15% Pinot Meunier também ficando 3 anos em contato com as leveduras. Este apresentou um conita cor salmão claro, límpida e brilhante. Formação de uma fina perlage, constante e duradoura. No nariz apresentou aromas de frutos vermelhos como morango e cereja e toques de panificação. Em boca tem bom frescor e é mais leve que seu antecessor. De qualquer forma é de muita qualidade e muito saboroso.


Como não poderia deixar de ser, o gran finale ficou por conta do Champagne Lanson Extra Age Brut. Este champagne é um blend especial para celebrar o 250º aniversário da Lanson onde o enólogo Jean-Paul Gandon selecionou as melhores safras disponíveis na casa combinando as melhores uvas de Champagne (Grands Crus e Premiers Crus) para elabora-lo. Este champagne também passa por um período "extra" de envelhecimento (pelo menos 5 anos). Na taça uma cor amarelo palha com tendência dourada, brilhante e límpido. Formação muito abundante de pequenas borbulhas que duram muito tempo. No nariz aromas de frutos tropicais e secos, mel, tostado, panificação. Na boca é muito cremoso e mantém acidez ainda viva, refrescante e deliciosa. 

Belos vinhos, ótimas companhias e claro, não poderia deixar de citar a condução da degustação especial a cargo do sommelier Manuel Luz, o qual dispensa apresentações. E tem muito mais a vir por aqui, fiquem conosco.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário