terça-feira, 26 de maio de 2015

Prologo Late Harvest Moscatel de Alejandría 2012

Eu confesso que vinhos de sobremesa não são o meu forte, apesar de gostar muito deles. A verdade é que eu tenho uma certa dificuldade de parea-los com alimentos e afins por que tenho evitado comer muitos doces, afim de tentar manter o peso numa condição minimamente saudável. E com o passar dos anos, a idade tem pesado e isso tem se tornado um verdadeiro martírio. Mas, deixando de lado a parte ruim da história, vamos falar de um vinho de sobremesa que nos foi presenteado e veio diretamente do Chile para nossa mesa, o Prologo Late Harvest Moscatel de Alejandría 2012.


Este vinho é produzido pela Viña Francisco de Aguirre, cuja tradição começou há mais de 450 anos atrás, quando o conquistador espanhol Francisco de Aguirre plantou a primeira vinha na região do Valle del Limarí. As vinhas situadas em um oásis na fronteira sul do Atacama eloqüente, aproveitando os benefícios do sol e da brisa proveniente do mar do Oceano Pacífico começaram a ser adquiridas ainda em 1993, data também onde foi finalizado o projeto com a aquisição de 100 hectares no Valle del Limarí, cerca de 12 quilômetros de Ovalle. Em 1995 se iniciou a produção de vinhos finos. 

Sobre o Prologo Late Harvest Moscatel de Alejandría 2012, podemos ainda acrescentar que é um vinho feito com 100% de uvas Moscatel de Alejandría, uva branca da família da Moscatel (esta mesmo que temos por aqui no Brasil), sendo que sua maior expressão se encontra na Espanha, nas regiões de Málaga e de Valência. Como o nome já diz também, a colheita das uvas é feita da maneira mais tardia possível, bem depois das outras uvas, fazendo com que as uvas sequem nas vinhas até se tornarem quase uvas passa, concentrando todos seus açúcares e idealmente mantendo sua acidez. Sem mais delongas, vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma coloração amarelo dourado com excelente brilho, boa limpidez e lágrimas pesadas, lentas e incolores.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos cítricos e frutos cristalizados, mel e algo de flores brancas.

Na boca o vinho é gordo, acidez deliciosa e boa estrutura. Retrogosto confirma o olfato e o final é longo e saboroso.

Um delicioso vinho de sobremesa, deve acompanhar bem tortas a base de frutas ou mesmo cheesecakes. Fica na memória por um bom tempo e eu arriscaria bebericá-lo também como aperitivo por não ser tão doce e/ou enjoativo. Eu recomendo a prova.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário