quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Viagem a Bento Gonçalves (Vale dos Vinhedos) - Vinícola Miolo

Mais uma vez eu decidi que era hora de ser guloso e de conhecer uma gigante do mundo vitivinícola nacional, a Vinícola Miolo. A vinícola dispensa apresentações, mas supondo que alguém que nos lê ainda não conheça, a Miolo Wine Group é lider do mercado nacional no segmento de vinhos finos (segundo a própria) com cerca de 40% de share. A empresa tem projetos em diversas regiões, dentro e fora do Brasil, e produz uma grande gama de rótulos/produtos. Sua história, em minha humilde percepção, se confunde com parte da vitivinicultura no Brasil, e também acaba se tornando referência de qualidade dentro do mercado nacional.





A estrutura da vinícola no Vale dos Vinhedos é enorme, e eles já tem "roteiros" prontos para recepção de turistas. Os grupos são divididos e de tempos em tempos levados para a visitação. Nós fomos selecionados no grupo que seria acompanhado pelo enólogo Vinícius. O tour se iniciou num local onde eles mantém diversos parrerais que eu apelidei de "didáticos" pois os mesmos não são de grandes proporções e não são utilizados para vinificação, somente para explicações aos turistas durante a visitação. Depois fomos levados a área de produção propriamente dito, onde nos fora apresentado os antigos tanques de madeira utilizados para fermentação, que atualmente foram substituídos por modernos tanques de inox com temperatura controlada e assim por diante. Se compreendi corretamente nesta planta são produzidos em sua maioria espumantes pelo método tradicional (na proporção de 80%) enquanto que os vinhos tintos são responsáveis pelos outros 20% da produção, mas que as demais unidades do grupo seriam responsáveis pelos demais vinhos. A seguir fomos apresentados as caves de envelhecimento, onde ainda segundo o Vinícius, as barricas tem uma vida útil de 5 anos para utilização do envelhecimento de vinhos e depois são utilizadas para outras finalidades (outras bebidas). Uma última informação interessante é que a vinícola também não vinifica seus vinhos mais top em anos em que não considera a safra satisfatória.


Após todo o passeio pelas instalações, fui surpreendido com a parte mais diferenciada da visitação: iríamos participar de um rápido curso de degustação orientado pelo próprio Vinícius. Durante esta aula, o Vinícius nos mostra como segurar a taça, quais os sentidos usar em cada etapa da degustação e assim por diante. Não vou comentar sobre todos os vinhos que degustamos, como de costume, vou colocar alguns destaques que me surpreenderam positivamente: o espumante Brut Cuvée Tradition, bastante cremosidade e persistência na boca, muita fruta branca e excelente acidez e frescor, tem a cara dos dias de mais calor, de festa e de comemorações e o tinto Quinta do Seival Castas Portuguesas, bastante corpo, taninos domados, muita fruta, flores e especiarias, muita qualidade e aparentemente de bom custo benefício (a confirmar). Para finalizar a visita, passamos na lojinha da vinícola e trouxemos algumas coisinhas de volta.




Era hora de mais uma despedida, a viagem estava acabando, mas algumas boas surpresas ainda estavam nos aguardando. Fiquem conosco.


Até o próximo!

2 comentários:

  1. Antes de qualquer situação esse garoto o Vinicius é aqui do vale do são francisco, região que tem três colheitas de uva ao ano e o grupo miolo tem uma fazenda)filial) aqui na cidade de Casa Nova - Ba e de forma brilhante desenvolve seu papel profissional por ai, o moço teve sua formação aqui no IF-SERTÃO e foi brilhar em solos gaúchos. Dou esse depoimento cmo pai do Vinicius e essa noticia aqui nos enche os olhos amim sua mãe Elaine Franco e seus dois irmãos Felipe e Ruan Abreu

    ResponderExcluir
  2. Bom saber que a família do Vinícius está atenta ao seus passos e que eles vos dá orgulho. Meus parabéns pelo filhão, pois ele está realmente trilhando seu sucesso em terra gaúchas!
    Abraços a todos e obrigado pela visita!

    ResponderExcluir