sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Fragulho 2008 Douro Reserva

Meus prezados leitores, sei que ando em dívida com vocês pois o blog deu uma diminuída no ritmo das postagens. A desculpa acaba sendo a já batida falta de tempo. Mas o lado positivo de tudo isso é que me sinto um privilegiado pois esta falta de tempo tem me feito enxergar que tenho um trabalho bacana, convivo com pessoas muito especiais mas também gerou algumas boas histórias pra eu contar aqui, mesmo que com atraso, haja visto que tenho postado minhas impressões sobre minha viagem a Bento Gonçalves, tenho tido a oportunidade de conhecer e conviver com pessoas diferentes e o vinho de hoje também é fruto disso. Já devo ter dito alguma outra vez que participo de duas confrarias, uma com o pessoal que se formou comigo no curso de sommellerie e outra com pessoas que conheci através de uma amiga em comum. A questão é que a última reunião desta confraria que me juntei com esta amiga foi muito bacana e especial. Além do tema ter sido um de meus favoritos (comida e vinhos portugueses) tivemos toda preparação feita por portugueses e ingredientes vindos diretamente de lá. Vamos então ao vinho.
Este típico exemplar do Douro não é trazido ao Brasil por nenhuma importadora (eis ai uma grande oportunidade) é produzido pela Casa dos Lagares, que está localizada em Cheires, no Douro. A produção é de em média 3000 garrafas e o vinho custa ao redor de 10 a 12 euros em Portugal. Em seu corte são usadas as uvas Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca sem proporções divulgadas. Estagia por seis meses em carvalho. 

Na taça o vinho apresentou uma cor violácea bem intensa e forte. Lágrimas finas e coloridas tingiam as paredes da taça.

Ao nariz, o vinho abriu com muito aroma floral, frutas vermelhas muito maduras e algo de terroso, lembrando solo molhado. 

Na boca o vinho apresentou taninos finos, redondos e bem integrados, boa acidez que pedia sempre o próximo gole e final de média duração trazendo frutas e algo de tostado. 

Um belo vinho, uma noite excelente com companhias muito interessantes. Sem dúvida, pra se lembrar por muito tempo. Uma pena que o vinho não seja vendido por aqui no Brasil.

Até o próximo!

Um comentário:

  1. José Carlos Silva17 de abril de 2012 06:51

    Sem duvida. Já provei este nectar dos deuses e é simplesmente fenomenal. Tenho sorte em viver em Portugal e ter acesso facil a este vinhão...

    ResponderExcluir