segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Ripasso Valpolicella Clássico Superiore Soraighe

A reunião de final de ano da Confraria Pane, Vinum Et Caseus se deu na última sexta feira e foi muito especial. Além das companhias excelentes e anfitriões fora de série, tivemos ainda uma diferença: cada um era responsável por levar um prato de comida com o intuito de promovermos a confraternização e caberia então aos organizadores da confraria escolherem vinhos bem flexíveis e que se adequassem a ocasião. E não é que eles escolheram bem? Tivemos dois vinhos, como de costume: o Conde de Los Andes Gran Reserva Cosecha 2004, já comentado aqui no blog (relembre aqui) e o Valpolicella Ripasso Superiore Soraighe. Falemos um pouco sobre o segundo.



Feito pela família Bennati na região do Veneto (famosa pelos Amarones, vinhos feitos com uvas passificadas  e normalmente com alto grau alcóolico e grande potência), na Itália, e tendo como base o processo ripasso (já explicado outras vezes por aqui) este vinho tem em sua composição as uvas Corvina, Rondinella e Molinara sem proporções definidas. Conhecido popularmente como o irmão mais novo do Amarone, estes vinhos normalmente valem a tentativa. Vamos a este.

Na taça uma bela cor violácea sem halo de evolução aparente. Lágrimas finas, lentas e com alguma cor. Aqui a avaliação pode ter tido alguma alteração pois a iluminação não permitiu maior avaliação.

No nariz o vinho exibia aromas francos de frutas escuras em compota, terra, madeira em ótimo balanço com o vinho e um pouco de coco mais ao fundo. Tudo bem franco mas ao mesmo tempo muito elegante. Álcool espetou de início mas arrefeceu com o tempo de vinho aberto.

Na boca o vinho mostrou toda sua potência com muito corpo, bons taninos e excelente acidez. Um pouco alcoólico, esquentou no primeiro ataque. Com o tempo porém o álcool baixa e deixa um gostoso retrogosto de média duração lembrando frutas e iogurte de coco.

Um grande vinho, elegante e potente na medida, e que pode não agradar a todos por esta entrada quente e potente na boca mas que realmente casa bem com carnes e comidas com molho. Caiu bem com uma costela de porco ao molho barbecue e até com bacalhau no forno com gratinado de provolone. Enfim, ponto positivo pro pessoal da confraria!

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário