quinta-feira, 4 de agosto de 2016

J. Bouchon Canto Sur 2014

Com tantos eventos e vinhos degustados ultimamente, fica difícil manter em dia os posts por aqui mas vez ou outra, prometo que tentarei com todo meu esforço atualizar vocês, meus caros leitores, com alguma coisas boas que provei por ai. O vinho de hoje, o J. Bouchon Canto Sur 2014 foi uma grata surpresa que conheci no International Wine Show do Frei Caneca. Espero que gostem.


Na Bouchon Family Wines, tudo começou no século 19, quando um jovem enólogo francês de 22 anos, chamado Emile Bouchon, chegou ao Chile, vindo mais especificamente de Bordeaux para o Vale do Maule para fundar sua própria vinícola. Depois de muitos anos de trabalho duro, ele conseguiu adquirir uma antiga vinícola no Vale do Colchágua chamada Angostura (com vinhedos de mesmo nome), onde começou a cultivar as variedades típicas francesas como Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e Sauvignon Blanc. Emile conheceu e casou com Germaine Fauré, cuja família também deixou a França para o Chile em busca de novas oportunidades, e tiveram quatro filhos juntos. Seus dois filhos, Abel e Antonio, passaram a estudar agronomia na Universidade do Chile e mantiveram a tradição vinícola da família viva, assim como o filho de Antonio, Julio, faria muitos anos depois. Hoje a quarta geração da família é quem toca os negócios.

Falando agora especificamente do J. Bouchon Canto Sur 2014, podemos ainda acrescentar que este vinho é um blend das uvas Carménère, Carignan e País (70% da primeira e 15% de cada uma das outras duas). A fermentação acontece em tanques de concreto onde ocorre também o envelhecimento, por cerca de 4 meses. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração rubi violácea de grande intensidade, bom brilho e limpidez.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos e escuros maduros, especiarias (mais voltado para pimentas) e café espresso.

Na boca o vinho se mostrou encorpado com boa acidez e taninos sedosos. O retrogosto confirma o olfato e o final era longo e saboroso.

Um belo vinho chileno, num corte inusitado e que vale a prova. Elegante, corpulento e harmônico. Eu recomendo.

Até o próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário