segunda-feira, 13 de junho de 2011

Foffani Chardonnay 2007

Nem só de tintos vive o inverno. E foi seguindo esta premissa que eu escolhi este vinho para acompanhar o almoço deste final de semana. Evidentemente que o prato escolhido guiou a escolha, mas eu aproveitei a oportunidade para degustar este vinho que eu havia escolhido como diferenciado em uma feira que estive presente a algum tempo atrás.

Este exemplar vem de uma pequena região Italiana próxima ao mar Adriático, fronteiriça com a Áustria e Eslovenia, chamada de Friuli Venezia – Giulia. É uma região com boa exposição ao sol porém com clima frio e alguns vinhedos plantados em encostas e planícies. É tida como uma região moderna e tem se utilizado de uvas internacionais e autóctones até então desaparecidas e/ou pouco usadas. Especificamente em se tratando deste vinho sua DOC (Friuli Aquileia) abrange deste Triese a Udine.

Sobre o vinho em si, algumas peculiaridades: rendimento de 2,5kg por planta,  durante todo o inverno passa pelo processo de batonage sur lies (pretendo explicar melhor este termo em outro post) em tanques de aço,  não passa por fermentação malolática e finalmente não passa por qualquer envelhecimento em barricas de carvalho, o que segundo o produtor tem a finalidade de se extrair todos os aromas “naturais” que a cepa tem a oferecer, o que não deixa de ser coerente. Entretanto vejo uma pequena contradição nestas descrições do produtor, uma vez que o processo de batonage normalmente acontece em barricas, mas neste caso ao que parece ele o fez nos tanques de inox. De qualquer maneira, vamos as impressões sobre o vinho.

Na taça o vinho apresentou coloração amarela já tentendo a um bonito dourado, brilhante e límpido. Lágrimas finas, rápidas e incolores puderam ser notadas.

No nariz o vinho se mostrou complexo, abrindo com notas de pêssego e abacaxi, ao fundo pude notar alguma coisa de mel e fermento. Já no fundo da taça ainda era possível sentir alguma coisa de manteiga misturado com notas cítricas.

Na boca o vinho confirmou a boa primeira impressão e se mostrou gordo, preenchendo bem o palato e com uma ótima acidez e vivacidade, pedindo sempre o próximo gole. Retrogosto confirmou as frutas, o mel do nariz e um final cítrico lembrando lima/limão.Vinho gostoso e fácil de beber!

Um excelente chardonnay, vivo e refrescante que talvez ficasse até melhor em um dia de calor mas que foi excelente escolha para o Saint Peter ao molho de camarão que fora preparado em casa. Excelente vinho, comprado junto a Wine Lovers e que valeu a compra!! Confirmou a ótima impressão que eu havia tido na feira no dia em que comprei este vinho.

Até o próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário