sexta-feira, 24 de junho de 2011

O importante papel do vinho no restaurante

Já que meu último post foi relacionado ao serviço do vinho no restaurante e hoje tive a oportunidade de mais uma vez almoçar fora e poder avaliar de maneira um pouco mais consciente o mesmo resolvi que poderia falar mais sobre o assunto. E qual não foi minha supresa quando o correio foi entregue hoje em casa e eu vi que havia um catálogo de inverno da Mistral que trazia um pequeno texto na seção de dicas do Mr. Al sobre o assunto? Como concordei em grande parte com o texto, vou reproduzi-lo aqui com a intenção de que discutumaos o assunto, pedindo portanto para que vocês leitores do blog me dêem suas opiniões sobre o assunto.

"O papel do vinho no sucesso dos restaurantes é muito maior do que suspeitam vários restauranteurs. Quantas vezes um bom vinho, servido à temperatura ideal não savou um jantar no qual a comida ou o serviço não estavam tão bons? E quantas outras vezes um jantar onde a comida estava boa não fora arruinado por um vinho fraco, medíocre? Estamos convencidos que existem quatro aspectos que, em conjunto, fazem o sucesso ou o fracasso de um jantar em um restaurante: a comida, o vinho, o ambiente e o serviço (nota do blog: eu incluiria também o  preço cobrado, pois este a meu ver influencia demais a sua sensação sobre o que é bom e ruim). Basta um deles ser muito ruim para que a noite fracasse, mesmo que os outros estejam bons. Por outro lado, basta um deles estar excelente para que os erros nos outros aspectos sejam muito amenizados. Além disso, é importante que o cliente consiga se encontrar na carta de vinhos. Todos sabemos como é horrível ter que escolher um prato em um restaurante cujo cardápio é escrito em uma língua que não dominamos bem. Da mesma forma, nada pior para o cliente do que não encontrar nomes conhecidos na carta de vinhos. O que acaba acontecendo é que o cliente não arrisca pedir um vinho mais caro de um produtor que não conhece, e acaba escolhendo um vinho mais barato. E, claro, um vinho fraco é um passo certo para estragar a noite. Existem restauranteurs que dão total importância a alguns dos quatro aspectos citados, mas esquecem um ou dois, sem se dar conta de que, fazendo isso, estão condenando seus restaurantes a serem só medianos."

Eu ainda acrescentaria que uma carta de vinhos ideal deveria conter breves informações e/ou descrições do vinhos nos quesitos frescor/acidez, taninos (nos casos dos tintos), teor alcóolico, quase como nas fichas técnicas dos vinhos para que pudéssemos ter mais uma idéia do que estamos bebendo. Claro que isto é um passo um pouco maior, mas que a discussão acima já nos ajudaria de forma enorme.

E vocês leitores do blog, contmém experiências boas, e também ruins, que tiveram com serviço de vinhos em restaurantes. Vamos compartilhar informações para que possamos crescer como consumidores conscientes mas também possamos fazer com que os donos de restaurante se conscientizem que fazemos parte de um grupo de consumidores que estuda e conhece um pouquinho do assunto e que quer no mínimo, ser bem atendido.

Até o próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário