quinta-feira, 29 de maio de 2014

O que esperar da safra 2014 na Argentina e no Chile?

Relatos preliminares sobre a qualidade da safra 2014 sob o olhar de produtores e enólogos



Todos prontos para saborearmos os primeiros vinhos da safra 2014? Enquanto as vinhas estão apenas florescendo no hemisfério norte (Europa e América do Norte), aqui pelos lados do hemisfério sul muito já se tem de uvas colhidas, moídas e fermentadas, todas representantes da safra atual. Os principais produtores da América do Sul - Chile e Argentina - não enfrentaram uma safra tranquila e de fácil cultivo. No Chile, uma severa geada de primavera criou uma das menores colheitas em anos, mas uma boa safra produziu vinhos agradáveis. Houve geada do outro lado da Cordilheira dos Andes também, e uma colheita em baixo de muita chuva diminui ainda mais o rendimento.

Argentina

A boa notícia: uvas brancas colhidas antes das chuvas mostraram boa qualidade. Uma maior acidez nas uvas tintas como a Malbec, por exemplo, promete um potencial de longo envelhecimento.

A má notícia: A geada de primavera danificou muitas vinhas em Mendoza, com alguns vinhedos de Chardonnay enfrentando perdas de até 40 por cento na produtividade. A colheita em um período chuvoso e úmido significou também botrytis em alguns pontos, diminuindo ainda mais a produção.

Os viticultores argentinos enfrentaram uma montanha-russa de condições climáticas durante todo o ano, culminando em uma colheita fria e úmida. Além disso, a geada em partes de Mendoza combinada a situação da colheita, reduziu os rendimentos de um modo geral. O degelo abundante teria feito dessa uma grande colheita, se tudo não tivesse se abrandado com o tempo frio em fevereiro, março e abril somados a severa geada de setembro. Segundo relatos, a geada atingiu principalmente o leste e o norte de Mendoza e San Juan, e também algumas partes do Vale do Uco e Luján de Cuyo. Graças ao clima e as chuvas frias durante a colheita, a botrytis foi generalizada em Mendoza, e foi necessária muitos cuidados aplicados a viticultura para colher uvas saudáveis. A paciência é necessária para alcançar uma boa maturidade. O teor de álcool dos vinhos é mais baixo do que o normal. A colheita sendo particularmente atrasada e com o tempo frio, vai levar os melhores tintos a alcançar sua fermentação malolática somente na próxima primavera, o que é bastante tarde em termos de Argentina.

Chile

A boa notícia: O tempo quente e seco durante o período de crescimento levou a uma colheita precoce e a promessa de vinhos concentrados e cheios de sabor .

A má notícia: Uma grave geada de primavera  acabou danificando novos brotos. Os rendimentos caíram pela metade ou chegaram a um terço para a maioria das variedades.

A geada da primavera durante o período de crescimento foi uma dos mais prejudiciais na história do Chile. As regiões costeiras perto de Santiago, incluindo Casablanca e Leyda, foram duramente atingidas, bem como os vales fluviais no sul, como Bío-Bío por exemplo. As castas mais afetadas foram Chardonnay e Sauvignon Blanc para os vinhos brancos e Pinot Noir e Merlot para os vinhos tintos. Embora a colheita seja pequena, a qualidade é alta em todas as áreas, de acordo com muitos viticultores.

Matéria original em www.winespectator.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário